De críticas ao presidente à “vaia cearense”: como deputados do Ceará reagiram ao início da vacinação

Logo após o sinal positivo da Anvisa para aplicação de dois imunizantes no País, integrantes da bancada cearense na Câmara dos Deputados comemoraram

Vacinação em São Paulo começou no último domingo (18)
Legenda: Vacinação em São Paulo começou no último domingo (18)
Foto: Divulgação

Sob expectativa da chegada das primeiras doses da Coronavac ao Ceará, a aprovação do uso emergencial de duas vacinas contra a Covid-19 no Brasil repercutiu entre deputados federais da bancada cearense. Parlamentares de oposição a Jair Bolsonaro (sem partido) exaltaram a decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e criticaram o presidente, inclusive com a tradicional “vaia cearense”. Já aliados do chefe do Palácio do Planalto destacaram o início da vacinação no País. 

Logo após o sinal positivo da Anvisa para aplicação da Coronavac, produzida pela Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, e da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford/AstraZeneca em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), integrantes da bancada pedetista no Ceará comemoraram.

“Finalmente chegou a nossa vez. Que tenhamos mais doses, para todos”, disse Eduardo Bismarck (PDT).

O deputado Idilvan Alencar (PDT) defendeu a inclusão de profissionais da educação no grupo prioritário. “O desafio agora é conseguir vacina para todos os brasileiros, no menor tempo possível, com prioridade aos grupos de risco, profissionais de saúde e de educação”. 

Como crítica ao presidente Jair Bolsonaro, Leônidas Cristino (PDT) mandou uma “vaia cearense”.

Líder da oposição na Câmara, André Figueiredo (PDT) também criticou o Governo Federal. “É a vitória da ciência, da medicina, do bom senso e, sobretudo, da vida! Demorou, mas o pesadelo da pandemia se aproxima do fim. Agora falta Bolsonaro acertar as contas dos crimes cometidos por ele contra a saúde pública”, disse. 

Vacinação no Ceará

Aliado próximo ao presidente Bolsonaro no Ceará, Dr. Jaziel (PL) limitou-se a publicar mensagem do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, informando sobre o início da distribuição das vacinas. “Nenhum brasileiro ficará para trás”, disse. 

“Praticamente vivendo um ano em situação de guerra, a esperança de dias melhores começa a surgir”, publicou o deputado Capitão Wagner (Pros). Já Heitor Freire (PSL) destacou que tomaria a vacina Covonavac, mas ponderou que o imunizante não é seu preferido.

A bancada petista também se manifestou. José Guimarães (PT) exaltou o papel do governador cearense e correligionário Camilo Santana (PT). “Enquanto Bolsonaro cruza os braços, Camilo Santana está mobilizando a logística para trazer a vacina o mais rápido possível. O governador fez planejamento das ações, não mediu esforços para buscar a vacina e hoje temos a possibilidade de iniciar a vacinação”, comemorou. 

Ele também exaltou o trabalho dos profissionais de saúde, assim como Pedro Bezerra (PTB). “Profunda gratidão aos nossos cientistas brasileiros”, disse o petebista. 

O também petista José Airton Cirilo comentou sobre a decisão da Anvisa. “Por mais notícias assim, que colocam esperança em nossos corações”, disse. Licenciada das funções na Câmara, Luizianne Lins (PT também se pronunciou. “O povo brasileiro não pode mais esperar”, destacou. 

Já Célio Studart (PV) criticou o silêncio do presidente. “Inicialmente, negou dinheiro do SUS, disse que não compraria vacina feita em São Paulo, disse que não tomaria vacina alguma, pois a vida é dele, mas agora o Ministério da Saúde quer exigir que o Butantan entregue as doses de São Paulo para o Governo Federal. É muito triste que ainda existam pessoas que defendam esse caos”, pontuou. O deputado também aproveitou para comemorar o início da vacinação.

“A esperança na vacina, a esperança de um novo ano, de uma superação mundial e nacional é uma esperança nas pessoas de boa fé, na boa ciência, nos profissionais da saúde e de todos que não negam ou minimizam a pandemia”, concluiu Célio.

“Um dia que renova o sentimento de esperança em nosso país! Viva a ciência”, comemorou Denis Bezerra (PSB).

O emedebista Moses Rodrigues exaltou a enfermeira Mônica Calazans, primeira vacinada no País. “É a representação da esperança de todos nós brasileiros que sonhamos com a cura da Covid-19. Viva a ciência! Viva a Fiocruz! Viva o Butantan! Vida longa à pesquisa”, disse. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política