Cartórios do Ceará devem priorizar teletrabalho até dezembro, recomenda Corregedoria

A medida não proíbe o atendimento presencial, mas prevê que os estabelecimentos sigam as regras de restrição determinadas pelo município onde está localizado e pelo o Estado

fotografia
Legenda: Os estabelecimentos que abrirem para atendimento presencial devem assegurar máscaras para os funcionários e álcool em gel pra todos que estiverem nos cartórios
Foto: José Leomar

A Corregedoria-Geral da Justiça do Ceará (CGJ) determinou, nesta segunda-feira (22), que os cartórios cearenses continuem atendendo, preferencialmente, em regime de teletrabalho até 31 de dezembro. A medida não proíbe o atendimento presencial, mas prevê que os estabelecimentos sigam as regras de restrição determinadas pelo município onde está localizado e pelo o Estado.

Até domingo (21), os atendimentos presenciais nestes estabelecimentos não eram permitidos.

"Até dezembro deste ano, os cartórios do Ceará devem priorizar o atendimento por teletrabalho. O atendimento a distância é recomendado para reduzir a disseminação e contágio pelo coronavírus no Estado", reforçou o corregedor-geral da Justiça no Ceará, desembargador Teodoro Silva Santos.

Os estabelecimentos que abrirem para atendimento presencial devem assegurar máscaras para os funcionários e álcool em gel pra todos que adentrarem aos cartórios, seguindo os protocolos de higiene.