Assembleia arrecada cestas básicas para doar à população durante a pandemia

Além dos próprios deputados estaduais, outras instituições como Fiec e Fecomércio estão aderindo à mobilização. A Casa recebe doações de alimentos e produtos de higiene pessoal

Em meio ao agravamento dos impactos econômicos da segunda onda da pandemia da Covid-19, deputados estaduais cearenses se mobilizam para uma ação beneficente dentro e fora da Assembleia Legislativa. O presidente da Casa, Evandro Leitão (PDT), articula a arrecadação para doação de cestas básicas à população em situação de vulnerabilidade social.

Até o momento, nove parlamentares confirmaram adesão à iniciativa: Osmar Baquit (PDT), Dra. Silvana (PL), Fernando Santana (PT), Elvilo Araújo (Patriota), Manoel Duca (PDT), Danniel Oliveira (MDB), Guilherme Landim (PDT) e Fernanda Pessoa (PSDB).

A iniciativa já lançada pela Casa neste ano está deixando que cada parlamentar decida doar as quantidades que considerar possível. As doações estão sendo encaminhadas ao Comitê de Imprensa da Assembleia e a destinação dos alimentos arrecadados ainda está em discussão.

Além da Assembleia, outras instituições como a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) e a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio) já estão contribuindo com a campanha do Legislativo Estadual. Novas adesões podem acontecer por parte de empresas privadas.

Também são aceitas doações de alimentos não perecíveis e produtos de higiene da população em geral, que devem ser enviados ao Comitê de Imprensa da Casa Legislativa.

“Estamos passando por um momento muito difícil. Além de ações concretas que temos realizado no Parlamento e junto ao Comitê de Estadual de Enfrentamento à Covid-19, precisamos acionar também o sentimento de solidariedade. Aqueles que desejarem participar doando alimentos não perecíveis ou kits de higiene podem enviar suas doações para a Assembleia Legislativa para que possamos realizar a distribuição. Toda ajuda será muito bem-vinda”, afirma Evandro Leitão.

Impactos da pandemia

De acordo com dados do Cadastro Único, mais de 3 milhões de cearenses vivem com apenas R$ 89 por mês, valor quase seis vezes menor que o da cesta básica, no último mês, em Fortaleza. Em fevereiro, o kit custou R$523,46.

Esse total de cearenses na extrema pobreza representa 33% da população do Estado, segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para o ano passado.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política