Após ameaça de morte, Camilo Santana defende medidas na pandemia e recebe apoio de políticos

Em transmissão ao vivo, o governador cearense afirmou estar com "consciência em paz". Polícia Civil investiga ameaças

Escrito por Felipe Azevedo, felipe.azevedo@svm.com.br

Política
Camilo Santana, governador do Ceará, em uma transmissão ao vivo, diz que continuará agindo da mesma forma nas medidas de isolamento no estado, mesmo após sofrer ameaças de morte.
Legenda: Camilo Santana, em uma transmissão ao vivo, disse que continuará agindo da mesma forma nas medidas de isolamento no estado, mesmo após sofrer ameaças de morte.
Foto: Reprodução

Após sofrer ameaças de morte em grupos de WhatsApp - o que gerou uma investigação da Polícia Civil -, o governador Camilo Santana (PT) se pronunciou sobre o assunto durante transmissão ao vivo nas redes sociais na noite desta segunda-feira (29). “Vou continuar agindo da mesma forma, estou com a consciência em paz”, declarou.  

Deputados, vereadores cearenses e o prefeito José Sarto (PDT) usaram os perfis nas redes sociais para demontrar apoio ao chefe do Executivo Estadual.

As ameaças ocorrem em meio às medidas restritivas adotadas pelo Governo do Estado diante do agravamento da pandemia no Ceará.

O colunista Inácio Aguiar apurou que, em um áudio compartilhado em um grupo de WhatsApp contra o lockdown, um homem com antecedentes criminais chama o governador e outros políticos cearenses de “bandido” e relata que tem “amigos militares” que teriam “o olho quente”.  

“Vou ser sincero com vocês: tinha uma galera aí doida para pegar o governador... É porque sumiu (sic). Mas não tá fácil para ele escapar, não. Tem um bocado de menino bom aí doido para pegar ele, pra comer a cabeça dele. É grana, viu? E eu estou dentro”, diz, ao reiterar a ameaça.  

Camilo Santana disse ainda, durante a live, que prefere “falhar pelo excesso do que na omissão”, e afirmou que continuará tomando as medidas de isolamento social.  

Assista ao pronunciamento do governador  

Também nas redes sociais, políticos cearenses demonstraram solidariedade ao governador nesta segunda-feira. 

 A expectativa é que Evandro Leitão (PDT), presidente da Assembleia Legislativa, e o vereador Antônio Henrique (PDT), presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, façam pronunciamentos nas sessões desta terça-feira (30) em solidariedade a Camilo Santana.  

Os dois líderes do parlamento estão mobilizando cartas de apoio, colhendo assinatura de parlamentares. 

Repercussão entre políticos cearenses

Senador Cid Gomes (PDT): 

" Minha total solidariedade ao governador que vem sofrendo ameaças de morte por estar lutando a favor da vida e da saúde de todos os cearenses de forma exemplar. É urgente a investigação para descobrirmos todos os envolvidos nisso!”, escreveu o deputado Denis Bezerra (PSB). 

Deputado federal Domingos Neto (PSD):

Eduardo Bismarck (PDT) disse que “os ataques ao Governador Camilo Santana, além de gravíssimos, não contribuem em nada. Muito pelo contrário, são um claro ataque às instituições que lutam para resolver a situação. Minha solidariedade e apoio!”.  

“Ameaças [...] viraram a arma política de quem não aceita as regras da democracia. Cada semana, uma ameaça diferente e o país afunda [...] minha solidariedade ao governador, o ameaçado da vez", disse, por sua vez, o deputado Idilvan Alencar (PDT). 

Assinando uma nota como vice-presidente nacional do PT, o deputado José Guimarães escreveu que "são gravíssimas as ameaças de morte ao governador do Ceará Camilo Santana. Não podemos tolerar esse ímpeto fascista que tenta atacar quem adota medidas para preservar vidas na maior crise sanitária da história". 

O deputado Leônidas Cristino (PDT) pediu que "os que amam o Ceará, que somem comigo em solidariedade ao governador que teve a vida ameaçada, porque tem adotado as medidas necessárias para defender a saúde da população, com determinação. O crime deve ser apurado e punido com o rigor da lei".