Ameaça de morte ao governador Camilo Santana mobiliza atos de apoio político no Ceará

Parlamentares do Congresso Nacional, da Assembleia Legislativa e da Câmara Municipal de Fortaleza demonstraram apoio ao petista

Camilo Santana Governador do Ceará
Legenda: Governador Camilo Santana recebeu apoio de lideranças políticas após sofrer ameaça
Foto: José Wagner/Governo do Ceará

Deputados e vereadores cearenses manifestaram apoio ao governador Camilo Santana (PT) nesta terça-feira (30), após ameaças de morte direcionadas ao chefe do Executivo estadual.

O caso está na Polícia Civil do Ceará, que investiga, entre outros alvos, um grupo de Whatsapp chamado ‘Ceará contra o lockdown’, formado por pessoas que se dizem contrárias às medidas restritivas adotadas no Estado.

Entre os diálogos identificados com ameaças ao governador, há um deles na qual um homem diz: “Tem um bocado de menino bom aí doido para pegar ele, pra comer a cabeça dele. É grana, viu? E eu estou dentro”. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social confirmou a veracidade das informações. Pelo menos um suspeito já foi interrogado.

Em repúdio a esse material, na Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE), houve aprovação unânime de moção de solidariedade ao governador, com base em requerimentos de autoria de Acrísio Sena (PT) e de Júlio César Filho (Cidadania), líder do Governo na Casa.

Durante a leitura dos pedidos, o presidente da AL-CE, Evandro Leitão (PDT), pronunciou-se em apoio a Camilo e às medidas adotadas para conter a pandemia de Covid-19.

"Esse tipo de ameaça põe em risco a integridade física e moral de toda uma sociedade. É algo tão sério, diante de decisões difíceis tomadas no combate à pandemia, que beira o absurdo. É necessário ressaltar que todas as decisões referentes ao enfrentamento da pandemia são tomadas com base na ciência e são feitas de forma conjunta por meio do Comitê Estadual de Enfrentamento à Covid-19”, disse Evandro.

O deputado estadual Osmar Baquit (PDT) também repudiou as mensagens de ódio direcionadas ao governador. “O criminoso que fez isso é fruto, muitas vezes, do que se escuta de alguns líderes nacionais que não têm nenhum apego à vida”, declarou.

Deputados da Assembleia Legislativa em sessão virtual
Legenda: Deputados da Assembleia Legislativa em sessão virtual nesta terça-feira
Foto: Reprodução

Além da base de Camilo, parlamentares da oposição demonstraram apoio ao governador. “Todos sabem das divergências que temos com o grupo que hegemoniza o estado do Ceará, mas nenhuma divergência autoriza não se sensibilizar com o que tem acontecido. O Brasil vive uma escalada autoritária", disse Renato Roseno (Psol).

Legislativo municipal

A sessão desta terça-feira na Câmara Municipal de Fortaleza foi aberta com pronunciamento do presidente da Casa, Antônio Henrique (PDT), em favor das medidas adotadas por Camilo Santana durante a pandemia, ressaltando “o trabalho incansável do governador”.

Ele pontuou ainda que, apesar de as ações de combate à pandemia não serem as notícias que um governante deseja dar, “são necessárias para garantir que menos pessoas fiquem infectadas e percam a vida. Como o nome diz, são medidas excepcionais, tomadas em situações extremas para garantir a saúde de todos”, disse o pedetista.

Sessão Virtual da Câmara Municipal de Fortaleza
Legenda: Sessão Virtual da Câmara Municipal nesta terça-feira
Foto: Reprodução

Foi incluída na pauta da Câmara um requerimento de autoria do vereador Ronivaldo Maia (PT), juntamente com o presidente da Casa, e subscrito por diversos vereadores presentes, para o envio de moção de solidariedade ao governador.

“Não vemos como aceitável que se faça ameaças de morte ou qualquer outro meio violento contra aqueles que estão na linha de frente no combate à Covid", disse Ronivaldo.

O vereador Gabriel Aguiar (Psol) também se pronunciou sobre o episódio. “Por mais que tenhamos divergências, me solidarizo. Estamos vivendo um momento muito difícil de retrocesso civilizatório, em que as pessoas não querem mais resolver as questões de forma democrática, através de debate e ciência”, ressaltou.

Márcio Martins (Pros), da oposição, pediu que o governador reflita sobre a questão da segurança no Estado. "Ele é um ser humano, e nenhum ser humano merece nenhum tipo de tratativa com ameaça. Os órgãos de inteligência devem agir e fazer os eu papel. O governador deve refletir sobre a questão da violência no Estado", afirmou. 

“Não aceitaremos qualquer tipo de intimidação ao trabalho de todos e todas que tem lutado incessantemente para salvar vidas. É um absurdo que diante de uma pandemia com esta, com mais de 300 mil mortos, se tente travar o trabalho de quem tem lutado para salvar vidas”, disse a vereadora Larissa Gaspar (PT).

Nota de apoio da bancada federal

Parte da bancada federal do Ceará lançou nota de apoio ao governador Camilo Santana. 

"Essa é mais uma prática de criminosos que tentam por meio da violência e autoritarismo confrontar o trabalho árduo que vem sendo conduzido para tentar minimizar os graves impactos da pandemia na vida do povo cearense", diz a nota oficial.

Bancada federal do Ceará em reunião antes da pandemia
Legenda: Bancada federal do Ceará em reunião antes da pandemia

Dos 22 parlamentares que representam o Estado na Câmara dos Deputados, cinco não assinaram a manifestação: Capitão Wagner (Pros), Danilo Forte (PSDB) , Dr. Jaziel (PL), Heitor Freire (PSL) e Vaidon Oliveira (Pros). Todos são de oposição.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política

Assuntos Relacionados