Retomada com consciência

No último feriado da Independência, todos foram bombardeados com as imagens de uma Jericoacoara lotada e pessoas sem máscaras, diferentemente do que se esperava ver em meio a uma pandemia: a falta de responsabilidade de alguns turistas destoou da expectativa de uma retomada segura. 

Como empreendedora, e proprietária de uma das mais tradicionais pousadas em Jericoacoara, reforço que o turismo precisa voltar, mas com consciência. Nos preparamos para oferecer uma retomada segura, com respeito ao Município e aos nativos que aqui moram.

Os esforços quanto a equipamentos de segurança, máscaras, higienização constante e uso do álcool em gel não foram poupados pelas pousadas e hotéis. Difícil era ver um funcionário, dono de pousada ou garçom sem máscara: todos estavam paramentados para receber o público, que descumpriu as medidas sanitárias adotadas e colocou em risco a população e a si mesmo. O tráfego intenso das pessoas na Vila também gerou mortes dos animais, como cães e gatos.

Foram cinco meses de angústia para quem sobrevive do turismo e a notícia da reabertura de Jeri trouxe encantamento e alegria novamente. Foram dias de organização, planejamento, aumento da mão de obra, novos materiais de limpeza e capacitação de funcionários para lidarem com as necessidades sanitárias da retomada, tudo para a reabertura da Vila cumprindo os protocolos. 

No entanto, não houve a conscientização esperada. É neste contexto que reforço: o turismo precisa do respeito de todos. Para que aconteça um retorno efetivamente seguro, responsável, e que traga confiança de que é possível retomar de forma consciente.

Por aqui, seguiremos com as normas de segurança que geraram confiança e reforçamos que o paraíso é para todos. Respeito para Jeri e para todos que nela moram, e tornam ela o lugar especial que é.

Helena Farias
Empresária


Assuntos Relacionados