Fintechs e seu papel na democratização do acesso a crédito para MPMEs

O Brasil possui atualmente 21 milhões de Micro, Pequenas e Médias Empresas, segundo dados de um levantamento recente do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC)

Escrito por Paulo Castro ,
CEO do Contbank
Legenda: CEO do Contbank

Com os avanços tecnológicos, as fintechs, empresas de soluções financeiras digitais, estão crescendo no mercado brasileiro, tanto para pessoas físicas, quanto para as Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPMEs), desempenhando um papel fundamental para a economia do país no cenário mundial.

O que antes era de difícil acesso e moroso, hoje, com alguns cliques é possível abrir contas bancárias, ter linhas de crédito especializadas, além de um atendimento personalizado de acordo com as necessidades de cada cliente. Tudo isso de forma ágil, intuitiva e descomplicada, sem burocracias para que os clientes se sintam acolhidos. 

O Brasil possui atualmente 21 milhões de Micro, Pequenas e Médias Empresas, segundo dados de um levantamento recente do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), e elas são responsáveis pela contratação de mais de 60% da mão de obra no país.

Com um olhar atento a essas dores, as fintechs estão revolucionando o mercado financeiro porque adotam inovações por meio de tecnologias de inteligência artificial e big data que conseguem trazer abordagens mais eficientes e transparentes para a avaliação de risco de crédito, sem a necessidade de um relacionamento de longo prazo. Além disso, em um só lugar as empresas podem contar com serviços de cobrança, soluções para pagamentos de impostos, tarifas mais baixas em transferências, dicas sobre saúde financeira com base nas movimentações da conta, entre outros benefícios.

As fintechs, portanto, têm desempenhado um papel de grande importância na democratização do acesso ao crédito para as MPMEs, com soluções acessíveis, transparentes e inovadoras. A meu ver, o futuro para essas startups é promissor, porque elas atendem as necessidades básicas desses empreendedores que desejam expandir e se capitalizar no país. Com o crescimento das empresas, mais pessoas são contratadas e a economia do Brasil também é impulsionada. É um ciclo em que todos fazem parte e caminham juntos para um mundo com melhores oportunidades. 

Alessandro Almeida é diretor comercial da MRV&CO
Alessandro Almeida
18 de Maio de 2024
Professor aposentado da UFC
Gonzaga Mota
17 de Maio de 2024
Christine Muniz é presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia - Seção Ceará (SBOT-CE)
Christine Muniz
12 de Maio de 2024
Professor aposentado da UFC
Gonzaga Mota
10 de Maio de 2024