Inteligência de dados na publicidade

Os smartphones mudaram a forma como as pessoas se relacionam, sendo esse comportamento também verificado nas interações com as marcas. Se no passado existia a desconfiança sobre adquirir produtos e a dúvida com relação a solução de problemas via internet, hoje essas e outras ações são resolvidas com um celular em mãos, em poucos cliques, ainda mais nesse momento de isolamento social, onde a conexão é oxigênio.

A inovação na publicidade mobile é vista graças à digitalização da população, o avanço tecnológico e o acesso e tempo gasto na internet via celular. Segundo o relatório State of Mobile 2020 publicado em janeiro pela App Annie, as pessoas de todo o mundo passaram em média 3h40min por dia usando aplicativos em 2019 - um índice 35% maior do que em 2017.

O Brasil figura entre os três principais consumidores, com o brasileiro passando 3h45min em apps, atrás somente dos chineses (4h) e indonésios (4h40min).

Pesquisa da IAB Brasil, realizada em parceria com a PricewaterhouseCoopers (PwC), indica a consolidação do mobile como a plataforma tecnológica preferida pelos anunciantes. Intitulada "Digital AdSpend 2019", a publicação aponta que, em 2018, a publicidade digital no Brasil alcançou um investimento da ordem de R$ 16,1 bilhões, sendo o mobile responsável por 67% dessa verba, o que representa duas vezes mais do que o que foi direcionado para o desktop.

O uso de inteligência de dados, por meio de plataformas de Big Data & Analytics, ganha força melhorando a assertividade da publicidade digital, em especial da mídia mobile.

O uso cada vez mais massivo de dados, ajuda a gerar valor para as marcas anunciantes. As plataformas de Big Data e Analitycs, permitem um grande processamento de informações para acompanhamento do resultado das campanhas.

Na ótica do Big Data, os dados coletados podem ser ainda mais adequados à publicidade mobile dada a proximidade ao comportamento do indivíduo considerando mobilidade e tempo real.

Adriana Viali

Head da Oi Soluções