Pecém exporta 1,5 mi de toneladas de placas

Neste mês, três navios deverão atracar no Porto, movimentando uma carga superior a 300 mil toneladas

Legenda: Nesta semana, o navio Spar Corona saiu do Pecém carregado com 27.613,41 toneladas de placas de aço, o equivalente a 1.366 unidades
Foto: Foto: Helene Santos

O início da produção da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) tem incrementado a movimentação no Porto do Pecém. De acordo com a Cearáportos, administradora do terminal portuário, o Pecém acaba de alcançar a movimentação de 1,5 milhão de toneladas de placas de aço produzidas pela siderúrgica. Na última segunda-feira (1º), o navio Spar Corona desatracou do Pecém com destino ao Porto de Santos, carregado com 27.613,41 toneladas de placas de aço, volume equivalente a 1.366 unidades.

Conforme a Cearáportos, somente neste ano, foram movimentadas no Porto do Pecém 906.618,75 toneladas de placas de aço, 51% a mais que o total dos primeiros meses da produção das placas pela CSP, de agosto a dezembro do ano passado.

De acordo com o diretor-presidente da Cearáportos, Danilo Serpa, até o momento, já está programada para o mês de maio a atracação de mais oito navios, que deverão movimentar uma carga superior a 300 mil toneladas de placas de aço.

Incremento

Danilo Serpa destaca ainda que o início da operação da siderúrgica promoveu um incremento na movimentação total do Porto do Pecém. "Vale ressaltar que, apenas de matéria-prima, a CSP movimenta cerca de 7 milhões de toneladas, e a capacidade de produção anual da siderúrgica, movimentadas pelo Pecém, é de mais 3 milhões de toneladas de placas de aço", diz.

O impacto nas atividades no porto cearense já pôde ser observado em 2016, quando o recorde de movimentações no acumulado do ano foi alcançado, chegando a 11 milhões de toneladas de cargas importadas e exportadas. "Esperamos finalizar este ano com 14 milhões de toneladas", afirma Danilo Serpa.

Operação

A operação das placas de aço está sendo realizada em parceria pelos três prestadores de serviços do Porto do Pecém (Tecer, Apm Terminals e Unilink), sob a coordenação da Cearáportos. Desde agosto de 2016 já foram exportadas placas de aço produzidas no Ceará para diversos lugares do mundo como, Estados Unidos, Turquia, Itália, Tailândia, Coreia do Sul, dentre outros países.

Trimestre

Considerando todos os produtos que passam pelo Porto do Pecém, além das placas de aço da CSP, a movimentação de cargas no terminal cearense no primeiro trimestre deste ano dobrou em relação ao acumulado de janeiro a março de 2016, passando de 2 milhões de toneladas para 4,1 milhões de toneladas.

Desse total, 1 milhão de toneladas foi exportada (quase quatro vezes o volume exportado nos três primeiros meses do ano anterior) e 3,1 milhões de toneladas foram importadas (um aumento de 72% em igual intervalo de tempo). Conforme dados da Cearáportos, 61% das movimentações (2,5 milhões de t) foram granéis sólidos; 21% de carga geral solta (883 mil t); 14% de carga conteinerizada (570 mil t); e 4% de granel líquido (160 mil t).

A expectativa, segundo Danilo Serpa, é que o porto encerre este ano tendo movimentado 14 milhões de toneladas, o que representaria um crescimento de 27% em relação 2016.

Para isso, é esperado o êxito da operação da CSP e a safra de frutas frescas, que começa em agosto e já conta com uma nova linha para Antuérpia.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios