Teleatendimento: rede pública e privada investem em ações para auxiliar pacientes

Serviços reduzem necessidade de deslocamento da população. Equipes multidisciplinares compõem atendimentos

Escrito por Agência de Conteúdo DN,

Metro
Legenda: Serviços de teleatendimento utilizam diferentes plataformas para entrar em contato com a população
Foto: Divulgação

Em meio ao aumento do número de casos de infectados pelo novo coronavírus no Ceará, utilizar meios alternativos de realizar diagnósticos reduz a necessidade de exposição das pessoas. Uma dessas estratégias é o teleatendimento, modalidade que conecta os pacientes com profissionais da saúde pela internet, em diferentes plataformas. 

Na rede pública estadual, entre os meses de janeiro e fevereiro, foram realizadas 1947 teleconsultas, informa a Secretaria Estadual da Saúde (Sesa). Além das iniciativas voltadas ao combate contra a Covid-19, o serviço também auxilia outras especialidades, como pneumologia, imunologia, genética, endocrinologia, nutrição, entre outras, com cerca de 180 profissionais atuantes. A iniciativa é voltada para aqueles pacientes que já foram assistidos nas unidades de saúde, como forma de continuar o atendimento. O serviço funciona via WhastApp e Telegram.

Iniciativa da Sesa, o Plantão Coronavírus pode ser acessado por todos no site da Secretaria. Criada em abril de 2020, a plataforma já atendeu a mais de 42 mil pessoas, em funcionamento 24 horas durante os sete dias da semana. No espaço, os usuários entram em contato com um sistema de inteligência artificial que, após questionamentos básicos, direciona para um atendente real. 

De acordo com Allan Denizard, coordenador do Plantão Coronavírus e médico de Família e Comunidade, a ferramenta auxilia a proporcionar informação para a sociedade, ao mesmo tempo em que evita hipermedicalização e quebra do isolamento social. Além do portal, o Plantão pode ser acessado via WhastApp e Telegram. 

Na rede Hapvida, o funcionamento do serviço foi um dos principais investimentos desde o início da pandemia. Em nível nacional, já foram realizadas mais de 400 mil teleconsultas, com média mensal de 55 mil consultas. Em nota, a rede também informa que, apesar de ser indicado para o momento, em caso de um trauma grave, sangramento ativo, convulsões, suspeitas de infarto ou AVC, o paciente deve ser encaminhado imediatamente para uma unidade de saúde.  

O procedimento para teleconsultas na rede é feito todo de maneira on-line, desde a solicitação até o recebimento da receita. As demandas podem ser realizadas no portal da rede

“Nesse momento que ainda é crítico da pandemia, utilizem cada vez mais a telemedicina como sua forma principal de apoio à saúde, evitem sair de casa, evitem se expor e expor os outros ao vírus”, reforça Luciano Cunha, Diretor Corporativo de Telemedicina do Sistema Hapvida. 

Investimento constante

No caso da Unimed Fortaleza, além do serviço Unimed Fone, que já trabalhava para tirar dúvidas dos pacientes e foi aperfeiçoado após o início da pandemia, a cooperativa passou a adotar ferramentas como a Central de Atendimento Coronavírus 24 horas, voltada para pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19. 

Desde o fim de fevereiro, os clientes da empresa também têm acesso ao pronto atendimento virtual via o aplicativo Cliente Unimed Fortaleza. “Os clientes podem ter acesso através do app e serem atendidos por médicos capacitados com possibilidade de prescrição de medicamentos, solicitação de exames e emissão de atestado médico, quando necessário. Inicialmente, o serviço está disponível de segunda a domingo, das 7h às 19 horas, exclusivamente pelo app, para todos os clientes da operadora”, esclarece Célia Ancântara, superintendente de recursos próprios da Unimed Fortaleza e médica responsável pelo Pronto Atendimento Virtual.

Há, ainda, o serviço de telemonitoramento para pacientes com suspeita de Covid-19 e que realizaram a coleta de exames Swab RT-PCR. Na modalidade, uma equipe multidisciplinar composta por enfermeiros, nutricionistas, educadores físicos, terapeutas ocupacionais, psicólogos, da equipe da Medicina Preventiva, entra em contato por telefone e realiza o monitoramento à distância.

Com cerca de 120 profissionais atuando na modalidade, já foram realizadas 7829 consultas, com 86% desse valor sendo referente a casos suspeitos de Covid-19, com monitoramento de mais de 13 mil pacientes. “A telemedicina é uma realidade que veio para ficar e veio como oportunidade de dar às pessoas mais acesso a um atendimento de saúde. Isso é especialmente importante nas regiões de difícil deslocamento e em especial nesse momento de pandemia que precisamos manter um distanciamento físico”, comenta Célia Ancântara. 

 Serviço Plantão Coronavírus

Telegram: @plantaocoronavirus
WhatsApp: (85) 8439-0647
Portal: coronavírus.ceara.gov.br

Assuntos Relacionados