Quartel do Corpo de Bombeiros será construído em terreno do Edifício Andrea

Anúncio foi feito pelo prefeito Roberto Cláudio e pelo governador Camilo Santana durante homenagem ao trabalho dos bombeiros no resgate às vítimas da tragédia

Legenda: Os bombeiros atuaram no resgate das vítimas do Edifício Andréa.
Foto: Foto: Camila Lima

O terreno onde ficava o Edifício Andrea, no bairro Dionísio Torres, vai abrigar um quartel do Corpo de Bombeiros do Ceará. O anúncio foi feito na tarde desta terça-feira (10) pelo prefeito Roberto Cláudio e pelo governador Camilo Santana durante solenidade de entrega da Medalha Dragão do Mar. A outorga foi entregue aos bombeiros em reconhecimento ao trabalho de resgate das vítimas do desabamento do prédio, ocorrido no dia 15 de outubro.

Roberto Cláudio assinou, no evento, o Projeto de Lei que garante a isenção de dívidas do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) aos proprietários dos imóveis do Edifício Andréa. 

"A gente vai isentar todas as dívidas de IPTU passadas desse equipamento para desapropriar e entregar para o governo do Estado para a construção do quartel. Vai ser realizada a urbanização, incluindo a construção de uma praça. O documento vai para Câmara para ser votado e a previsão é que no começo de 2020 já seja feita a desapropriação do terreno", disse o prefeito.

Durante a homenagem, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, Luiz Eduardo Holanda, afirmou que o novo quartel deve otimizar o tempo resposta do serviço dos agentes. "Nós precisávamos de um quartel naquela região, que é extremamente verticalizada, e vai possibilitar que a gente deixe uma escada mecânica para ocorrências em edificações elevadas literalmente no coração da Aldeota, melhorando nosso trabalho naquela região da cidade", declarou.

Legenda: O governador e o prefeito entregaram a medalha ao comandante do Corpo de Bombeiros
Foto: Foto: Rodrigo Carvalho/Prefeitura de Fortaleza

Tragédia

O Edifício Andrea, de sete andares, desabou por volta das 10h30 do dia 15 de outubro deste ano. Sete pessoas foram resgatadas com vida e nove morreram na tragédia. 

Imagens de câmeras de segurança do edifício mostraram pedreiros quebrando o reboco de colunas de sustentação do edifício minutos antes da estrutura desabar. 

O trabalho de resgate durou cinco dias e envolveu bombeiros, policiais militares, profissionais da Defesa Civil, além de voluntários.