Prédio desabado: saiba como ajudar vítimas com doações e veja desvios de ruas na região

Ação voluntária recebe alimentos, roupas e materiais de higiene pessoal para auxiliar no resgaste

Legenda: Foto: Thiago Gadelha/SVM

Com o objetivo de ajudar as vítimas do desabamento de um prédio de sete andares, o Edifício Andrea, que aconteceu nesta terça-feira (15) em Fortaleza, um grupo de voluntários junto do movimento Fortaleza Solidária lançou uma campanha emergencial para prestar auxílio e recolher doações. A ação ocorre no local do acidente, em espaço cedido por uma lojista na esquina entre as ruas Tomás Acioli e Tibúrcio Cavalcante. Voluntários contam quais são os principais itens necessários para os trabalhos na operação.

Manoela Arruda, enfermeira, está contribuindo com os agentes de saúde que estão presentes no local. "A gente está aqui trabalhando como voluntário na equipe do SAMU e está chegando muito material. Mas o que mais precisamos está faltando: máscara N95, capacete, luva tipo vaqueta - mais resistente - e óculos de proteção. Quem puder ajudar com energéticos e barras de ceral, nós também estamos precisando"

Dentre os materiais arrecados estão: alimentos não perecíveis, vestuário, itens de higiene pessoal, toalhas e lençóis. A enfermeira Renata Vasconcelos, que participa da ação, reitera que a doação também é utilizada pelas equipes de resgaste, que trabalham intensamente desde a manhã. 

"Água e alimentos vão embora muito rápido, quase na mesma velocidade que chegam. Estamos pedindo ajuda até para restaurantes. Tinha uma equipe de resgaste que estava aqui para resgatar uma pessoa de manhã e passaram quatro horas no socorro, então também o ajudamos. A gente está precisando de ajuda porque não sabemos quando tudo vai acabar. A expectativa é que prossiga pela madrugada também", explicou.

Os interessados em ajudar podem enviar os mantimentos para o local da ação ou se informar através do site www.fortalezasolidaria.org.br. O material arrecadado está sendo acumulado em casas e lojas no entorno do edifício desabado. Junto da Prefeitura de Fortaleza, o movimento está organizando um sopão paras familiares das vítimas. 

PEDIDO DOS BOMBEIROS

O Corpo de Bombeiros solicita a população pás, baldes de aço e óculos de proteção. A solicitação foi feita na madrugada desta quarta-feira (16). Os objetos serão usados durante os trabalhos de resgates das vítimas e podem ser entregues no ponto de arrecadação, na esquina entre as ruas Tomás Acioli e Tibúrcio Cavalcante.

PRIMEIROS SOCORROS

Uma equipe de profissionais da área de saúde, chefiada pela professora Anna Karynne Melo, coordenadora do curso de Psicologia da Universidade de Fortaleza, está prestando atendimento nas áreas de psicologia, medicina e enfermagem aos familiares das vítimas do desabamento do prédio na Aldeota. O atendimento é feito por alunos e profissionais da saúde.

ENERGIA

A Enel Distribuição Ceará informou que há cinco equipes no local do desabamento e que os pontos que ofereciam riscos de choque elétrico foram isolados. A empresa comunicou ainda que está precisando repor a estrutura da rede elétrica, com reparos sendo executados até o fim desta terça-feira (15).

TRÂNSITO

A Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) está atuando com um efetivo composto por 30 agentes para auxiliar no resgaste. A orientação do órgão é que a população evite trafegar no entorno do acidente, principalmente, ao longo das ruas como Tiburcio Cavalcante, Tomas Acioli, Nunes Valente, Joaquim Nabuco, Antonio Sales e Padre Valdevino. Confira cruzamentos interditados:

  •  Antônio Sales X Tibúrcio Cavalcante
  • Tibúrcio Cavalcante XCel. Alves Teixeira
  • Tibúrcio Cavalcante x Dr. Walter Studart
  • Walter Bezerra de Sá X Nunes Valente
  • Joaquim Nabuco X Cel. Alves Teixeira
  • Travessa  Potiguar X Dr. Walter Studart
  • Tomás Acioli X Nunes Valente
  • Cel. Alves Teixeira X Benjamin Torres
Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza


Redação 30 de Novembro de 2020