Astrônomos aguardam informações da Nasa para saber local da queda de asteroide no CE

Fenômeno foi registrado no último sábado, no Maciço de Baturité

Legenda: Satélite Geo Estacionário Meteorológico registrou o fenômeno
Foto: Reprodução

Astrônomos envolvidos no estudo da queda de um pequeno asteroide, percebido no Maciço de Baturité, interior do Ceará, no último sábado (10), aguardam por informações solicitadas ao Center for Near Earth Object Studies (Cneos), seguimento norte-americano ligado à Nasa, para identificar o possível local de queda e onde se encontram os fragmentos.

De acordo com o astrônomo Lauriston Trindade, da Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros (Bramon), a divisão da Nasa é capaz de captar os infrassons transmitidos pelos asteroides. “Esses infrassons não são percebidos pelo ouvido humano, mas são captados através de microfones especiais, como os da Cneos”, afirma. 

Caso os microfones tenham o registro da queda que ocorreu no Ceará, “a gente usa esses dados para determinar a trajetória do meteoro na atmosfera e ter a noção de onde, provavelmente, os meteoritos tenham caído”. Segundo Trindade, a expectativa é de que a Nasa responda aos astrônomos até esta quarta-feira (14), com detalhes sobre a queda, caso o registro tenha sido feito.

Mesmo com a solicitação à Nasa, uma equipe de astrônomos visitou o Maciço durante o último fim de semana na tentativa de obter informações com moradores sobre a direção da passagem do meteoro. “Nós só temos um vídeo registrado de uma câmera na Barra do Ceará, em Fortaleza, que conseguiu registrar imagens. Porém, somente com essa câmera não é possível fazer a triangulação e obter a trajetória do meteoro, por exemplo”, diz.

Em caso de resposta negativa da empresa norte-americana, o astrônomo revela que será difícil aprofundar os estudos sobre o ocorrido. “[A queda] vai ficar na história como um acontecimento pro Ceará, mas será mais um mistério, não teremos detalhes sobre. Mesmo com a vegetação seca nessa época do ano, nós não conseguiriamos localizar os fragmentos, a não ser que algum morador encontre alguma pedra ou rocha diferente e, então, nos informe ou à imprensa”.

Queda

O barulho da queda do pequeno asteroide foi percebido por volta das 06h50 do sábado em localidades como Baturité, Redenção, Pacoti, Mulungu, Palmácia e Guaramiranga. “Parecia que mundo estava se acabando. O estrondo foi muito alto”, comenta Rosângela Freitas, moradora da região do Maciço.

Conforme o astrônomo da Bramon, há uma explicação para o som emitido durante a queda. “Quando esse meteoro passa, o ar que existe na atmosfera vai diminuindo a velocidade dele. Chega em um momento em que ele está na velocidade do som e quando ele atinge essa velocidade, acontece um ‘boom sônico’. E isso acontece devido à fragmentação do objeto. Ele estava se despedaçando quando atravessou o Maciço”, comenta.

De acordo com o professor e astrônomo Romário Fernandes, um satélite geoestacionário meteorológico registrou o fenômeno. “Há um satélite que está a centenas de quilômetros acima da Terra e ele é um satélite geoestacionário meteorológico de monitoramento climático. Ele fica orbitando a Terra regularmente para outros fins. E ele capturou esse registro. Esse azul (ver foto) é um indicativo do fenômeno luminoso, a explosão que aconteceu por volta das 6h50 na região" esclarece.

Apesar do susto pelo barulho da explosão, não houve risco para a população, afirma Lauriston Trindade. “Quem encontrar os meteoritos pode ficar tranquilo porque não há radiação”, diz.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza

Assuntos Relacionados