Animais de estimação não transmitem coronavírus para humanos, mas requerem cuidados

Espécies como cães e gatos podem contrair um tipo diferente de coronavírus, que não é transmitido para o ser humano e não está relacionado à Covid-19

Embora a pandemia do coronavírus atinja diretamente a saúde e o bem-estar das pessoas, o mesmo não se aplica ao caso de animais de estimação. Cães e gatos podem, de fato, contrair um coronavírus próprio de suas espécies, mas o agente infeccioso não está relacionado à Covid-19 e não é transmitido para o ser humano. 

Não há evidência, até o momento, de que pets estejam adoecendo pelo novo coronavírus nem que sejam capazes de propagar a doença. "Eu estou percebendo um crescente abandono de animais por conta disso, e não há necessidade", esclarece a médica veterinária Cristiane Cambraia. 

Os cuidados de higiene, porém, ainda são recomendados como medida de precaução, conforme indicam a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) e o Conselho Federal de Medicina Veterinária.

Recomendações

As entidades orientam a evitar passear com os animais em locais de grande circulação de pessoas, como parques ou praças. O ideal é que só o tutor e seu bichinho participem do passeio.

É necessário lavar bem as mãos antes e depois de brincar com o animal, e higienizá-las também com água e sabão após manusear os alimentos e limpar a urina e as fezes do pet. Evite ainda beijar, receber lambidas ou compartilhar alimentos com os animais de estimação.

No caso de tutores que tenham testado positivo para o Covid-19, recomenda-se não entrar em contato direto com seus pets. Se o contato for necessário, é indicada a utilização de luvas e máscaras, e lavar as mãos antes e depois para proteger os animais.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza


Redação 20 de Outubro de 2020