Times brasileiros manifestam apoio ao Dia Internacional de combate à LGBTfobia; veja postagens

Ceará e Athletico-PR abordaram o tema publicamente pela primeira vez

Imagem mostra jogadores abraçados e levantando a bandeira do arco-íris
Legenda: Em 2021, Cano ergueu a bandeirinha de escanteio que tinha as cores do arco-íris em referência à luta LGBTQIA+.
Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

No Dia Internacional contra à LGBTfobia, celebrado nesta terça-feira (17), 15 dos 20 times da Série A do Campeonato Brasileiro se posicionaram contra esse tipo de violência. Ceará e Athletico-PR também se manifestaram publicamente sobre o tema pela primeira vez.

O Brasil é o país mais violento do mundo com a população LGBTQIA+. De acordo com o Grupo Gay da Bahia, entre 2000 e 2019 foram contabilizados 4.809 assassinatos desta população. Em 2021, foram 300 mortes violentas no Brasil. 

O mais recente relatório da entidade aponta um aumento de 8% em relação ao ano anterior, quando foram registrados 276 homicídios. Ou seja: uma morte a cada 29 horas. A região Nordeste, inclusive, lidera (35%) os casos.

CASOS NO FUTEBOL

No Relatório de 2020, o Observatório Racial do Futebol, que também contabiliza esse tipo de ocorrência, mostra pelo menos três casos nos estádios brasileiros, outros cinco na internet e mais quatro em espaços variados relacionados ao futebol ou pessoas envolvidas com o esporte.

O clube, quando fala, também acolhe. Datas importantes como esta da Luta contra a Homofobia, no país mais violento contra a população LGBTQIA+, é um avanço que deve ser celebrado. Que outros venham, na prática, em nome do direito de todes.

Até a publicação desta matéria, Atlético-MG, América-MG, Coritiba, Cuiabá e Goiás ainda não haviam publicado algo sobre o tema. 

VEJA TIMES QUE SE MANIFESTARAM:

 

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte