Guto diz que houve comparação com Vojvoda em demissão do Ceará e que não entendeu motivo da saída

Ele contou que até agora está procurando o motivo do desligamento do clube

Guto Ferreira e Vojvoda em campo de futebol
Legenda: Ele descartou ter "perdido o vestiário" (perder o controle do grupo de jogadores) como uma justificativa para o desligamento
Foto: Diário do Nordeste

O ex-técnico do Ceará, Guto Ferreira, falou, em entrevista à Rádio Bandeirantes, sobre a demissão dele do clube, que estava na oitava colocação da Série A do Campeonato Brasileiro.

Na entrevista, ele disse que houve comparação com o treinador do Fortaleza, Juan Pablo Vojvoda, durante a passagem pelo Time do Povo e que não entendeu o motivo da saída.

"Eu até agora estou procurando (o motivo da demissão), mas chegou um momento que essa ânsia do presidente Robinson de Castro, de solucionar da melhor maneira possível, optou por uma mudança, trazer outra peça. Uma coisa que a gente ouvia em alguns momentos dentro do clube era de que o elenco do Fortaleza não dava liga e chegou o Vojvoda e deu. Não foi bem assim. Chegaram alguns jogadores para agregar à equipe", afirmou.

"Essa ideia ficou martelando na cabeça dele, deve ter sido alguma pressão externa, e ele chegou a essa decisão. Volto a falar, decisão muito respeitada, não tenho nada a reclamar no momento. Espero que o Tiago Nunes possa oferecer ao clube o que a gente não conseguiu", acrescentou.

'Perder o vestiário'

Durante a conversa, Guto Ferreira descartou ter "perdido o vestiário" (perder o controle do grupo de jogadores) como uma justificativa para a demissão do Ceará e frisou ter recebido mensagem de quase todos os jogadores depois da saída.

"Às vezes, o time chega ao ponto que você tem que agregar peças. Não é só o treino que vai fazer dessa equipe que possa fazer algo mais. Você tem que trazer uma ou outra peça para que o time renda mais. De maneira alguma (perdi o vestiário). Na hora que a coisa aperta e não existe justificativa, para onde você vai? Sempre vai cair na conta do treinador. Se eu mostrar a quantidade de mensagem que eu recebi de praticamente quase o plantel todo. Existe um ou outro jogador que não agregou, que não trouxe retorno e não estava sendo usado como deveria porque não estava tendo o rendimento que deveria", pontuou.

"Se foi opção, eu perdi vestiário, então... Então siga com os jogadores... O Yony foi o único jogador que pediu para sair e não vinha sendo aproveitado. Em comum acordo, deixamos de utilizá-lo. Foi o único jogador que não dá para se dizer que teve briga, à medida que ele pediu para sair deixou de ser aproveitado em comum acordo. É piada dizer que perdemos o vestiário... Se fosse assim, na semana anterior, como a gente teria feito o jogo que fizemos contra o Flamengo?", destacou.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte