Fábio revela o maior atrito de Ceni com o elenco do Cruzeiro na campanha do rebaixamento

O goleiro reclamou da falta de coerência do treinador diante do grupo de atletas e durante entrevistas à imprensa

Legenda: Ceni passou somente 46 dias à frente da Raposa em 2019, com 2 vitórias, 2 empates e 4 derrotas
Foto: Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Rogério Ceni saiu do Cruzeiro em setembro de 2019 após vários desentendimentos com o clube. O goleiro e capitão do time, Fábio, revelou em entrevista à ESPN, nesta quarta-feira (20), um dos principais motivos para o atrito entre técnico e os jogadores durante a campanha que rebaixou a Raposa à Série B do Campeonato Brasileiro na última temporada.

"Sou bem direto. O Rogério teve uma parcela de culpa na sua saída pela forma como geriu alguns momentos, quando saiu da própria boca dele em algumas reuniões. E quando chegou na frente da imprensa, agiu de outra forma. Com certeza vai existir um atrito grande entre o atleta e o técnico", conta Fábio, um dos líderes do grupo, no qual faz parte desde 2004.

O goleiro explicou um episódio que ocorreu na 18ª rodada do Brasileirão, quando o Cruzeiro perdeu para o Grêmio na Arena Independência. Para o atleta, o modo como Ceni lidou com a derrota diante da imprensa piorou a situação no vestiário.

"Em uma reunião, ele falou nos nossos olhos que tudo o que acontecesse, ele não queria que fosse colocado pela imprensa e que íamos resolver as coisas internamente. E logo na sequência, fomos jogar contra o Grêmio e perdemos por 4 a 1. Depois, ele foi à imprensa e falou um monte de coisa, como se tivéssemos entregado o jogo. E ali foi o maior atrito que aconteceu. Na nossa frente falou um negócio e, quando teve a oportunidade na imprensa de estar junto dos jogadores, falou que quisemos entregar o jogo pra tirar ele do cargo", disse o jogador.

Ceni deixou o Cruzeiro após a 21ª rodada, quando empatou com o Ceará por 0 a 0 na Arena Castelão. Em seguida, o treinador retornou ao Fortaleza.

Nesta semana, a Fifa comunicou à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) que o Cruzeiro deve começar a Série B do Brasileirão com menos 6 pontos devido ao não cumprimento da ordem de pagamento da dívida com o Al Wahda, pelo empréstimo do volante Denilson.


Categorias Relacionadas