Vem Empreender: pequenas empresas e Startups que inovaram na pandemia

Novos negócios, inovação e crescimento. Conheça cinco empreendimentos que se destacaram durante a crise gerada pela Covid-19

Legenda: Andréa Almeida: Coragem para mudar
Foto: Divulgação

É em cenários de escassez que muitas vezes grandes ideias surgem. A crise gerada pela Covid-19 atingiu a todos sob diversos aspectos. E foi neste momento que empreendedores inovaram ou mesmo criaram novos negócios, munidos de muita resiliência, coragem e criatividade. O projeto Vem Empreender destaca mais cinco iniciativas, sendo três de pequenas empresas e duas de Startups, que se destacaram na pandemia e deram uma lição de empreendedorismo em tempos de crise.

Fazendo a diferença: o impacto social da Startup Troqueiro

Com a alta do desemprego e a queda de vários setores econômicos, encontrar soluções para que a economia volte a circular tornou-se urgente. Nesse contexto, a startup Troqueiro criou um sistema de escambo digital que aproxima pessoas que estão sem dinheiro para comprar ou contratar, mas que podem oferecer serviços e produtos como forma de pagamento.

Como explica Jana Gradvohl, diretora de marketing, a Troqueiro nasceu durante o Desafio Retoma Ceará, hackathon promovido pela Somos Um, no mês de setembro. Startup de impacto social que está fazendo a diferença nas comunidades de Fortaleza, a empresa une profissionais autônomos e pequenas empresas de uma mesma comunidade para trocarem produtos e/ou serviços.

“O Troqueiro, startup de impacto social, tem a ideia de desenvolver um sistema de economia circular que contribuiria para destravar a economia local. Testamos a iniciativa no bairro do Pirambu e Conjunto Palmeiras”, afirma Jana Gradvohl.

Legenda: Startup Troqueiro nasceu durante a pandemia com a proposta de escambo digital.
Foto: Arquivo pessoal

A solução funciona da seguinte maneira: a partir do cadastro na plataforma, o sistema auxilia os usuários a encontrar interesses profissionais e comerciais em comum e ajudarem-se mutuamente, por meio do câmbio de habilidades, saberes ou mercadorias. “O Troqueiro também quer humanizar a relação comercial entre profissionais”, acrescenta a diretora.

A startup está só começando, mas cheia de planos de desenvolver mais tecnologia de inteligência artificial para deixar mais rápida e intuitiva a prática de escambo entre autônomos e empresas. “A nossa única saída em meio à pandemia é trabalharmos para um novo olhar econômico, inovando as relações com mais colaboração e empreendedorismo social”, finaliza.

Crescimento exponencial: a expansão da Startup Mercadapp

A experiência de compra passou por muitas transformações com as novas tecnologias. Mas durante a pandemia, o consumidor precisou de fato buscar um novo jeito de comprar de forma segura. Usar aplicativos para fazer compras em supermercado, por exemplo, entrou de vez na rotina de muitos consumidores que evitaram sair de casa. E foi essa mudança de comportamento que levou muitas empresas a expandirem suas vendas. Foi o caso da Mercadapp, uma startup de solução tecnológica para o setor de supermercados.

Como explica Gabriel Gurgueira, diretor geral na Mercadapp, a solução entrou no mercado em 2016, como um marketplace de supermercados, trazendo uma nova experiência de compra para o setor. Mas desde 2018, a empresa passou a entregar uma tecnologia focada em ajudar o supermercado a gerar relacionamento e engajamento junto aos clientes. “Hoje nossa entrega é uma solução completa para o supermercado vender on-line, que passa pelo aplicativo móvel ou site de vendas, até uma tecnologia em que ele tem acesso a todos os parâmetros que pode modificar para impactar diretamente no app e um trabalho de assessoria para que possa ter mais performance nos seus resultados de venda on-line”, explica Gabriel Gurgueira.

Legenda: Gabriel Gurgueira: mudança de mentalidade tanto do mercado como do consumidor.
Foto: Arquivo pessoal

Com a pandemia e o senso de urgência para novas adaptações impostas pela necessidade de distanciamento social, a venda on-line passou a ser uma realidade imediata para os supermercados. E, nesse contexto, a Mercadapp precisou agir rápido para atender a demanda. “Tanto o consumidor passava a ver isso com uma forma assertiva de ter a sua experiência de compra sem se expor ao risco, como o supermercado entendia como uma forma de venda primaria naquele momento. Foi uma mudança de mentalidade tanto do mercado como do consumidor e os resultados se consolidaram de maneira muito expressiva”, avalia o empreendedor.

De olho nas novas tendências, Gabriel Gurgueira tem planos de expandir a tecnologia. “Os novos projetos são de continuar crescendo e tornando a tecnologia cada vez mais efetiva, expandindo a solução para que ela possa atuar sob novas verticais e com novas funcionalidades. Operações que a gente entende que podem ajudar o mercado de uma forma que ele possa ser ainda mais efetivo nesse canal de venda on-line”, finaliza.

Reinventar-se na dificuldade: a força da Culinária da Van

Fidelizar a clientela foi um dos grandes desafios dos empreendedores do setor de restaurantes. Quem ainda não possuía o serviço de delivery precisou se adaptar ao novo momento e levar a mesma gastronomia de antes para a casa do cliente, sem perder a qualidade. A Culinária da Van não só colocou o cardápio no delivery, como criou produtos.

Legenda: Van Regia: ser forte e reinventar-se nas dificuldades.
Foto: Arquivo pessoal

“Passamos a vender combos que a gente não vendia, passamos a vender nossa comida congelada, tanto os bolinhos, como os pratos”, conta a chef Van Regia. Ela afirma que o impacto da crise foi tão grande que chegou a ficar com quase 10% das vendas no início da pandemia. “Mas graças a Deus, com inovação e com a volta dos restaurantes, a gente já está saindo (da crise): conseguimos recuperar de 75% a 80% das vendas”, comemora.

Para a empreendedora, que conquistou a clientela com sua culinária regional e criativa, o período da pandemia ensinou a ser forte. “O que representou pra gente é que nos mostrou a questão de ser forte, de se reinventar nas dificuldades. A pandemia me ensinou muitas coisas, outras formas de trabalhar e deixou a equipe mais forte”, reflete.

Resultado positivo: o dinamismo da Don Pedron Barbearia

Alguns setores, como o de serviços, foram duramente impactados, especialmente aqueles que precisam de um contato físico maior para realização do mesmo. É o caso dos salões de beleza e estética. Mas quem conseguiu se manter na lembrança dos consumidores e se adequou rapidamente às novas exigências dos órgãos de vigilância sanitária trouxe a clientela de volta em segurança.

“Tivemos que permanecer fechados por alguns meses. Porém foi gratificante perceber que, após o retorno das atividades, os clientes estavam tão ansiosos quanto nós para retornar ao salão”, conta Pedro Oliveira cabeleireiro e sócio-proprietário da Don Pedron Barbearia. “Percebemos o resultado positivo do nosso trabalho ao longo desses anos”, analisa o empreendedor.

Legenda: Com consultoria especializada, Don Pedron Barbearia trouxe os clientes de volta com segurança.
Foto: Divulgação

O negócio está no mercado há 20 anos, graças à influência da mãe de Pedro, que também já teve um salão de beleza. Apaixonado pelo ramo, o cabeleireiro aposta em constantes atualizações por se tratar de um mercado bastante dinâmico. “Desde quando comecei, invisto em capacitações para me tornar um profissional ainda melhor. Na época que abri o salão enxerguei uma oportunidade de aplicar o que aprendi”, diz.

Durante a pandemia, o empresário contratou uma consultoria especializada para atender dentro dos padrões estabelecidos pelos órgãos de saúde, executando as recomendações para proporcionar um ambiente seguro para clientes e profissionais. “Nós fazemos o melhor para que as expectativas do cliente sejam superadas e que a nossa empresa o fidelize”, destaca.

Coragem para mudar: a virada da Cauípe Moda Praia

O espírito empreendedor e inquieto sempre esteve presente na vida da empresária Andréa Almeida Kern, diretora criativa da Cauípe Moda Praia, negócio que ajudou a criar há 22 anos. Para ela, a pandemia foi momento de transformar a crise em oportunidade de inovação.

“O mercado on-line já estava em nosso radar de inovação, mas foi antecipado devido a esse momento”, afirma Andréa Almeida Kern. “Criamos uma equipe de vendas internas, inside sales, nos aproximamos dos nossos clientes por meio das redes sociais, humanizando mais nossa comunicação e criando um maior diálogo. Assim, descobrimos anseios e desejos dos clientes e direcionamos nossas ações para isso”, pontua a empreendedora.

Com as melhorias na gestão e atenção às mudanças do mercado, os resultados se refletiram no crescimento da empresa. “Tivemos um aumento nas vendas com relação ao ano passado, aumentamos nossa carteira de clientes, melhoramos nosso fluxo de caixa e melhoramos nossa gestão de estoque. Foi um momento de nos fortalecermos, reinventarmos e fazer o que tem que ser feito”, avalia.

Para Andréa, a coragem para fazer as mudanças necessárias deu um novo rumo à empresa. “Nós dissemos que o ‘coragem vírus’ foi, Graças a Deus, o único vírus que pegamos. Coragem para estudar, para nos conectar com pessoas que agreguem e busquem solução, coragem para mudar e gerenciar equipe, para estudar, recomeçar, fazer diferente, vencer cada dia não importasse o que acontecesse. ‘Coragem vírus’ todos os dias”, reflete.

 

Quero receber conteúdos exclusivos do Vem Empreender