Projeto movimenta R$ 10 mil na economia do Grande Bom Jardim

Ação alia incentivo ao empreendedorismo e cidadania

fotografia
Legenda: Os interessados devem comparecer à sede da empresa, na Avenida Manoel Moreira Lima, S/N - Bairro Jenipapeiro, no dia 11 de setembro, às 8h da manhã.
Foto: FABIANE DE PAULA

Aliando o incentivo ao empreendedorismo feminino e a solidariedade para minimizar os efeitos da pandemia, a Rede Colaborativa do Bem movimentou cerca de R$ 10 mil na área do Grande Bom Jardim, em Fortaleza, bairro foco da ação. O projeto beneficiou, ao todo 2.680 pessoas, através de dez instituições, com a doação de alimentos, máscaras e serviços de bem-estar.

A iniciativa é resultado de uma parceria entre o Ibef Mulher com a Somos Um e a Flow Desenvolvimento Integral. A ação consistiu em capacitar mulheres para o empreendedorismo e liderança na Trilha Florescer, realizada pela Somos Um.

Para financiar a produção, o valor das inscrições de curso promovido em junho pela Flow Desenvolvimento Integral foi destinado à compra dos insumos necessários aos produtos que, por sua vez, foram doados à comunidade.

Foram arrecadados R$ 10 mil, tendo sido revertidos R$ 5 mil somente em compras no comércio local do bairro e de outros vizinhos da Regional V, ficando os demais R$ 5 mil para financiar a mão-de-obra das empreendedoras.

As 23 participantes foram divididas em grupos participativos por segmento: gastronomia (15), costura (6) e beleza e bem-estar (2).

"A Rede Colaborativa do Bem tem um viés social muito forte, pois incentiva o empreendedorismo dessas mulheres, fazendo a economia girar na comunidade e chamando a atenção para que essa prática seja disseminada", avaliou a presidente do Ibef Mulher, Renata Santiago.

Apoio

A fundadora da Somos Um, Ticiana Rolim Queiroz, ressaltou que o projeto permite que mulheres que também tiveram a renda comprometida com a pandemia ajudassem a comunidade. "Foi uma ajuda mútua, é a famosa corrente do bem", aponta.

A costureira Najla Gomes destacou o orgulho em exercer sua cidadania. "Eu escolhi duas instituições religiosas para doar a máscara. Fiquei muito feliz em estar exercendo minha cidadania e respeitando a diversidade, no caso, a religiosa", revelou.

Quero receber conteúdos exclusivos do Vem Empreender