Professor da UFC é detido no Aeroporto de Fortaleza após agredir comissários de bordo em voo

PF solicitou a prisão preventiva do docente, mas a Justiça relaxou a prisão

Escrito por Matheus Facundo, matheus.facundo@svm.com.br

Segurança
viaturas da polícia federal no aeroporto
Legenda: O professor foi autuado por atentado contra a segurança de transporte aéreo
Foto: Divulgação

Um professor da Universidade Federal do Ceará (UFC) foi detido pela Polícia Federal (PF) no Aeroporto de Fortaleza nesta segunda-feira (20). De acordo com a PF, o homem agrediu e ameaçou os comissários de bordo durante um voo que saiu de São Paulo para a capital cearense. 

Conforme a PF, o flagrante ocorreu durante a madrugada, por volta das 2h. A corporação informou que as atitudes dele "colocaram o voo em risco". 

O Diário do Nordeste apurou que o professor é um dos assessores especiais do gabinete do reitor Cândido Albuquerque. Procurada pela reportagem, a instituição de ensino informou que "não comentará o episódio".

Início da confusão

O professor teria iniciado um atrito ainda durante o check-in, após um problema na passagem. Já no avião, o docente teve outro problema com o bagageiro do avião ao tentar acomodar a bagagem. O homem disse em depoimento que uma comissária de bordo teria pegado a mala e jogado "de forma brusca em suas pernas". 

Após esse episódio, o professor voltou a se queixar das condições do voo durante o lanche. Ele disse no depoimento que a funcionária da empresa aérea não recolheu seu copo plástico e ele mesmo arremessou no lixo. 

O professor, então, solicitou a identificação dos comissários de forma agressiva e acabou detido ainda no interior da aeronave. 

Conforme a Latam, empresa que operou o voo, o apoio à PF foi solicitado pois o passageiro "apresentou comportamento indisciplinado". "A companhia reforça que seguiu todos os procedimentos de segurança de voo para este tipo de cenário e a aeronave pousou normalmente em seu destino", diz nota. 

Prisão relaxada

A Polícia Federal apresentou um pedido de prisão preventiva do docente junto ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região.

No entanto, o Ministério Público Federal (MPF) se manifestou contra a prisão preventiva e opinou pelo arbitramento da fiança e pelo impedimento de o professor voar durante um determinado período. 

Durante a audiência de custódia, o professor acrescentou que não disse nenhuma palavra de baixo calão nem agrediu nenhum funcionário. 

O advogado do professor justificou que a prisão foi ilegal e requereu a liberdade do professor sem a aplicação da medida cautelar. "Não se trata de crime nem mesmo em tese. Há aqui a hipótese de relaxamento da prisão em flagrante por absoluta ilegalidade", acrescentou. 

O juiz Danilo Fontenele, titular da 11ª Vara Federal, reconheceu a ilegalidade do flagrante e expediu um alvará de soltura ao professor. 

Leia a nota da Latam na íntegra

A LATAM esclarece que solicitou o apoio da Polícia Federal para realizar o desembarque de um passageiro que apresentou comportamento indisciplinado no voo LA3084 que viajava de São Paulo/Congonhas - Fortaleza na madrugada desta segunda-feira, dia 20/06. A companhia reforça que seguiu todos os procedimentos de segurança de voo para este tipo de cenário e a aeronave pousou normalmente em seu destino.