Polícia prende dois homens por morte de empresário e motorista em Aquiraz

José Jurandir Alves da Rocha, 59 anos e Jorginey Mesquita Novais, 40 anos foram encontrados mortos dentro de um caminhão

Arma artesanal e drogas foram apreendidas pela polícia na casa de um dos suspeitos da morte de empresário e motorista, em Aquiraz.
Foto: SSPDS/ Divulgação

Dois homens foram presos, entre eles um foragido do Rio Grande do Norte, suspeitos de envolvimento na morte de um empresário e um motorista ocorrida em Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza. Na última sexta-feira (3), um dos criminosos foi capturado no bairro Camará, região onde o crime aconteceu. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) divulgou as informações nesta segunda-feira (6).

No dia 6 de junho deste ano, José Jurandir Alves da Rocha, 59 anos, e Jorginey Mesquita Novais, 40 anos, foram encontrados sem vida, com marcas de tiros, dentro de um caminhão na avenida Manoel Feliciano. Na época, a polícia apurou que as vítimas estavam trafegando em direção a cidade de Maracanaú quando foram abordadas pelos assassinos.

De acordo com a SSPDS, o fugitivo Robenyo Kleriston Soares Moreira, vulgo “Loiro”, de 37 anos, foi detido após o cumprimento de um mandado de prisão pelo duplo homicídio. Na ocasião, as agentes também acataram um mandado de busca e apreensão na casa do criminoso. No local, a polícia apreendeu 400 gramas de cocaína, uma arma de fogo artesanal, duas balanças de precisão e uma motocicleta com sinal identificador adulterado. Policiais penais da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) participaram da ação em apoio a Polícia Civil.

Robenyo foi conduzido para a Delegacia Metropolitana de Aquiraz, onde foi ouvido pelo homicídios e  também autuado em flagrante por tráfico de drogas e posse irregular de arma de fogo. 

Segundo a Secretaria da Segurança, o outro suspeito do duplo homicídio foi capturado no dia 30 de junho. Elielton Rocha da Silva, de 27 anos, conhecido por “Sarrabulho”, já responde a oito inquéritos policiais, sendo quatro por homicídios, três por tráfico de drogas e um por outras infrações à lei de entorpecentes.