Polícia investiga caso de estupro coletivo contra menina de 12 anos em Sobral

Conforme Boletim de Ocorrência, crime foi cometido por pelo menos seis rapazes durante uma festa

policiais civis de costas
Legenda: Caso é investigado pela Polícia Civil por meio da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Sobral
Foto: Divulgação/SSPDS

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE), por meio da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Sobral, está investigando o caso de um estupro coletivo cometido por, pelo menos, seis adolescentes contra uma menina de apenas 12 anos. Em um exame de corpo de delito, a Perícia Forense constatou o crime sexual.

O estupro de vulnerável teria ocorrido durante uma festa no distrito de Jordão, no último dia 11, mas foi comunicado à Polícia somente no último dia 14, conforme consta em Boletim de Ocorrência (B.O) ao qual o Diário do Nordeste teve acesso. 

No B.O, há a informação de que a vítima participava de uma festa em uma quadra do distrito de Jordão, onde residia, quando foi amarrada, vendada e abusada sexualmente por um grupo de rapazes.

Além de cometer o crime, os suspeitos gravaram o estupro coletivo e compartilharam em um vídeo, que circulou nas redes sociais.

De acordo com o conselheiro tutelar José Arteiro Ferreira, um adulto também foi citado pela jovem como participante do crime. Ele, porém, "já foi ouvido e liberado por não haver flagrante ou falta de provas", detalhou.

Teste de gravidez

O caso veio à tona após a criança visitar uma unidade de saúde, acompanhada do pai, para fazer um teste de gravidez.

Ao ser questionada pelo profissional de saúde o motivo da solicitação do teste, a menina revelou que foi abusada e até ameaçada pelo grupo de rapazes para que não contasse nada aos familiares dela. 

O caso foi reportado ao Centro de Saúde da Família (CSF) e, em seguida, ao Conselho Tutelar de Sobral. Com o auxílio de um conselheiro, a vítima e os pais foram à DDM de Sobral registrar o Boletim de Ocorrência. 

A menina chegou a ficar internada por cerca de uma semana, em observação, mas recebeu alta na segunda-feira (18). 

Abuso sexual em casa

Além do estupro coletivo na rua, a vítima também relatou ser abusada sexualmente em casa, pelo próprio padrasto

Por isso, foi afastada da residência onde vivia com o padrasto e a mãe, e encaminhada para morar com a irmã mais velha, em outra localidade. 

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) confirmou que a Delegacia de Defesa da Mulher de Sobral é a unidade responsável pelas investigações. "As apurações estão em andamento e detalhes não serão divulgados visando não comprometer o trabalho policial e não expor a vítima", disse a pasta.

Informações que possam auxiliar as investigações podem ser repassadas para o número 181, o Disque-Denúncia da SSPDS, para o Whatsapp (85) 3101-0181, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem, áudio, vídeo e foto.

Além disso, as denúncias podem ser repassadas para a sede da DDM, pelo telefone (88) 3677-4282. A unidade especializada fica na avenida Lúcio Saboia, 358, no Centro de Sobral. O sigilo e o anonimato são garantidos.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança