Mulher é suspeita de mandar matar o marido em Cascavel; possível executor do crime é preso

Ela responderá o processo em liberdade; crime ocorreu no último dia 29

Escrito por Redação,

Segurança

Uma mulher de 33 anos é investigada como mandante do homicídio do marido, Ronaldo Filho Colares dos Santos, de 23 anos, em Cascavel, na Região Metropolitana de Fortaleza. A vítima morreu na porta de casa, no último dia 25 de setembro, no bairro Planalto.

Segundo o delegado do caso, Josafá Filho, a suspeita, Aurineide Amorim de Sousa, confessou o crime durante oitiva na última sexta-feira (2). A motivação seria ciúme. Jeferson Alves Costa Monteiro, de 19 anos, conhecido como Perninha, que teria sido contratado por ela para executar o assassinato, foi preso preventivamente nesta quinta-feira (7). 

No momento do crime, a vítima fazia reparos na fachada de casa quando foi atingida por tiros disparados por dois homens que chegaram a pé.

A Polícia Civil apresentou o pedido de prisão da mulher. Mas, segundo o delegado, a Justiça decidiu pelo direito de ela responder ao processo em liberdade. Dentre as medidas cautelares adotadas, Aurineide não poderá sair do Município e deverá comparecer em juízo mensalmente

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS) informou que Polícia Civil continua com as investigações para elucidar quem seria um segundo homem envolvido no caso. 

Versões contraditórias e confissão

Josafá afirmou que a investigada relatou que, dias antes de morrer, o marido havia recebido uma carta com ameaças de uma facção criminosa com a qual supostamente era envolvido.

Porém, a investigação policial teria descartado o envolvimento da vítima com o crime organizado. “Então, começamos a suspeitar”, observou. 

"Ela estava no terceiro depoimento e já havia inventado várias versões. Todos os indícios apontavam para ela, que acabou confessando”, afirmou. 
 

Motivação do crime

Na sexta, durante depoimento, a mulher teria informado que decidiu matar o marido por sofrer agressões físicas. No entanto, a Polícia não acredita que essa seja a motivação do homicídio. 

“Apuramos que ela nunca apanhou. Os familiares dela confirmaram que não houve [violência doméstica). Como eles brigavam muito por ciúmes da parte dela, tudo indica que foi por isso que ela mandou matá-lo”, apontou o delegado.  

Josafá Filho acrescentou não haver registros de Boletim de Ocorrência (B.O.) e testemunhas sobre as acusações de violência doméstica.  

Denúncias

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas pelo número (85) 3334-3591, da Delegacia Metropolitana de Cascavel.

As informações podem ser repassadas também para o número 181, o Disque-Denúncia da SSPDS, ou para o Whatsapp (85) 3101-0181. O sigilo e o anonimato são garantidos