Estudante de Direito é preso por suspeita de pichar ambulâncias do Samu e imóveis em Fortaleza

Jovem de 25 anos foi detido no bairro Rodolfo Teófilo e autuado por dano qualificado, ameaça e tráfico de drogas

Escrito por Redaçao, seguranca@svm.com.br

Segurança
suspeito de pichar ambulâncias do samu
Legenda: Suspeito usava bolsa de um serviço de entregas por aplicativo
Foto: Divulgação/Polícia Civil

Um estudante de Direito, que também trabalha como entregador de aplicativo, foi apontado pela Polícia Civil do Ceará como autor de pichações em duas ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e imóveis, em Fortaleza. A identificação do suspeito ocorreu nessa terça-feira (18), menos de uma semana após o delito. 

Luiz Carlos Morais Ferreira, de 25 anos, foi localizado em casa, no bairro Rodolfo Teófilo. No imóvel, os agentes localizaram uma motocicleta, uma bolsa de serviço de entregas por aplicativo e a blusa usada por ele durante a ação criminosa. Três celulares, sendo um deles com registro de perda, e um notebook, também foram recolhidos. O suspeito portava ainda porções de craque e maconha.

Além dos veículos do Samu, a investigação aponta que o universitário também pichou uma lanchonete na Avenida Bezerra de Menezes, uma funerária na Avenida Domingos Olímpio e até uma delegacia, em um intervalo de menos de 24 horas. 

Captura

Os agentes o capturaram após análise de imagens de câmera de segurança que o flagraram pichando e por rastreamento da motocicleta. "Ele agia sozinho, trabalha em uma empresa de aplicativo e a partir das 4h da manhã começava a agir", explica o delegado Vicente Amaral, titular do 11º DP, no Panamericano.

Sem antecedentes criminais, o universitário foi autuado por dano qualificado, ameaça, apropriação de coisa achada e trafico de drogas, Conforme a Polícia Civil, Luiz Carlos ficou em silêncio durante o depoimento e irá se pronunciar na presença de um advogado.

"Em entrevista extraoficial, ele confessou que fazia isso por afronta mesmo, por revolta", pondera o delegado.

Nesta quarta-feira (19), a Polícia representou ao Ministério Público do Ceará pela prisão preventiva e pela extração de dados dos celulares e notebooks apreendidos. O material será enviado posteriormente para o Departamento de Inteligência. O prazo para conclusão do inquérito é de 30 dias.

ambulância do Samu Fortaleza pichada
Legenda: Veículo do Samu foi pichado com mensagens de ameaça à equipe de saúde
Foto: Divulgação