Chacina em Viçosa do Ceará: saiba quem são as vítimas mortas em praça pública

Grupo estava em momento de confraternização quando foi surpreendido por criminosos armados em carros e motocicletas

Escrito por João Lima Neto/Emerson Rodrigues , seguranca@svm.com.br
Local de mortes foi isolado pela polícia
Legenda: Local de mortes foi isolado pela polícia
Foto: Mateus Ferreira/SVM

As sete pessoas mortas em chacina na cidade de Viçosa do Ceará (CE), na madrugada de quinta-feira (20), eram de diferentes regiões do Estado e algumas delas possuíam passagens pela Polícia. Na ocasião, elas foram identificadas sendo três mulheres, com idades de 16, 23 e 25 anos, e quatro homens, com idades de 18, 21, 24 e 26 anos,

Ana Caroline de Sousa Rocha, de 23 anos, já possuía passagens por homicídio, tráfico de drogas, associação criminosa e posse ilegal de arma de fogo e estava tornozelada. Já Júlio Felix Rodrigues, de 24 anos, possuía passagens por posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito.

Veja também

Outras duas vítimas lesionadas foram socorridas para uma unidade de saúde. A Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) também coletou vestígios que irão colaborar com as investigações, que estão a cargo da Delegacia Municipal de Viçosa do Ceará.

Veja relação de vítimas:

1. Ana Caroline de Sousa Rocha, 10/10/2000, natural de Fortaleza, respondia os artigos 12 (porte arma de fogo), 33 (tráfico de drogas), 121 (homicídio), 288 (associação criminosa) do Código Penal Brasileiro. O Diário do Nordeste apurou que ela foi presa em dezembro de 2022, por suspeita de ter sido mandante de um homicídio em Viçosa do Ceará. Dias depois da prisão, ela foi solta com medidas cautelares. Em abril, capturada novamente, dessa vez com drogas e, posteriormente, posta em liberdade com tornozeleira eletrônica;

2. Ingrid Ívine de Souza Rocha, 23/04/2008, natural de Viçosa do Ceará, não possuía antecedentes criminais;

3. Isamara de Sousa Rodrigues, 29/07/1998, natural de Viçosa do Ceará, residente no Sítio Brejo Grande na Zona Rural da Cidade de Viçosa o Ceará, não possuía antecedentes criminais;

4. Francisco Luan Brito da Silva, 14/06/1998, natural de Tianguá, residente no Sítio Covão na Zona Rural da Cidade de Tianguá, não possuía antecedentes criminais;

5. Júlio Felix Rodrigues, 29/02/2000, natural de Viçosa do Ceará, residente no Distrito Quatiguaba na Zona Rural da Cidade de Viçosa do Ceará, havia sido preso com outro homem em 2019, pelo crime previsto no artigo 16 do Estatuto do Desarmamento (posse de arma de fogo de uso restrito). Em julho do ano passado ele foi absolvido dessa acusação;

6. André Madeira Olivindo Junior, 27/01/2003, natural de Fortaleza, residente do Bairro Álvaro Wayne, em Fortaleza, não possuía antecedentes criminais;

7. Geovane de Amorim Silva, 02/10/2005, natural de Viçosa do Ceará, residia Bairro Santa Cecília na Cidade de Viçosa do Ceará, não possuía antecedentes criminais

Hospitalizados

1. Adrian Matheus Brito dos Santos, 06/12/2001, natural de Tianguá, residente no bairro Centro da Cidade de Viçosa do Ceará, não possuía antecedentes criminais.

2. Amância Alves Rodrigues, 20/09/1998, natural de Viçosa do Ceará, residente no Bairro Santa Cecília na Cidade de Viçosa do Ceará, não possuía antecedentes criminais.

Vítimas foram enfileiradas antes de serem mortas

Conforme vídeo de câmeras de segurança instaladas no entorno da praça, as vítimas estavam em um bar, ao lado da praça, quando os suspeitos chegaram de carro e motocicletas no local.

Os atiradores teriam retirado as vítimas do bar e colocado o grupo enfileirado na praça. Em seguida, os suspeitos dispararam contra nove pessoas.

O secretário da Segurança do Ceará, Roberto Sá, declarou na manhã desta quinta — em entrevista à imprensa — que algumas das vítimas mortas na chacina de Viçosa do Ceará tinham passagens pela polícia e envolvimento com o tráfico de drogas da região.

"A gente tá investigando ainda. A linha é de envolvimento com o tráfico de drogas, sem dúvida. De algumas pessoas que foram vitimadas, não todas", declarou Roberto Sá.

Os destaques das últimas 24h resumidos em até 8 minutos de leitura.
Assuntos Relacionados