Regina Duarte indica que vai assumir Cultura do Governo Bolsonaro

Atriz diz que a fase de "noivado" com o presidente foi "excelente" e que está "começando a tomar pé" dos trabalhos

Legenda: Regina Duarte indica que fase de "noivado" com Bolsonaro chegou ao fim e foi "excelente"
Foto: Foto: Carolina Antunes/PR

Após desembarcar em Brasília, nesta quarta-feira (29), a atriz Regina Duarte sinalizou que vai assumir a área da Cultura do Governo Bolsonaro, ao dizer que a fase de "noivado" com o presidente foi "excelente" e que está "começando a tomar pé" do que vai fazer na Secretaria Especial de Cultura.

Por enquanto, o Diário Oficial da União ainda não publicou a nomeação de Regina para o cargo nem o Palácio do Planalto anunciou oficialmente que ela vai assumir o cargo. A atriz se esquivou das perguntas, lembrando apenas que há um protocolo a ser seguido e que não poderia falar mais sobre o assunto.

A Secretaria da Cultura está sem comando desde o dia 17 de janeiro, quando o ex-secretário, Roberto Alvim, foi demitido por Bolsonaro após a repercussão negativa de um discurso em que ele usou frases semelhantes às usadas por Joseph Goebbels, ministro da Propaganda do governo de Adolph Hitler, na Alemanha nazista.

O site da revista paulista "Veja" informou, na tarde desta quarta-feira, que Regina disse "sim" ao convite de Bolsonaro e chegou a Brasília para montar sua equipe de trabalho.

A Secretaria Especial da Cultura assessora o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, na formulação de políticas, programas, projetos e ações que promovam a cidadania por meio da cultura. Uma das ferramentas de orientação do poder público na formulação de políticas culturais é o Plano Nacional de Cultura (PNC). Nas últimas semanas, cogitou-se recriar o Ministério da Cultura para prestigiar a chegada da atriz ao Governo, mas a ideia esbarra na promessa da campanha eleitoral do presidente de reduzir a máquina pública.