Presidente da Funarte, coronel Lamartine Barbosa Holanda é exonerado do cargo

Medida foi divulgada em edição extra do Diário Oficial da União

Presidente da Funarte, Lamartine Barbosa Holanda
Legenda: Substituto de Lamartine ainda não foi nomeado.
Foto: divulgação/Funarte

O presidente da Fundação Nacional das Artes (Funarte), Lamartine Barbosa Holanda, foi exonerado do cargo nessa quarta-feira (31), conforme portaria assinada pelo secretário-executivo da Casa Civil, Sérgio José Pereira. A medida foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

Coronel da reserva do Exército, Holanda havia assumido o cargo em setembro de 2020. Ele foi o quinto presidente da Funarte no governo Bolsonaro. O substituto dele ainda não foi nomeado.

O objetivo da Funarte é a promoção e o incentivo à produção, à prática, ao desenvolvimento e à difusão das artes no Brasil, sendo responsável pelo estímulo à atividade artística brasileira por meio de políticas públicas federais.

Holanda tem experiência em logística, é especialista em Planejamento de Ação Estratégica e já presidiu a Câmara de Comércio Brasil-Albânia no Rio de Janeiro. Fez curso de roteiro na Escola de Cinema de São Paulo.

Antes do coronel, a presidência do órgão foi ocupada por Luciano Querido, Dante Mantovani – duas vezes – e Miguel Proença. A demissão se dá em meio a uma crise do governo com os militares, a maior desde 1977.

Demissão conjunta

O Ministério da Defesa divulgou, na terça-feira (30), que os comandantes das três Forças Armadas do Brasil, Edson Pujol (Exército), Ilques Barbosa (Marinha) e Antônio Carlos Moretti Bermudez (Aeronáutica) seriam substituídos.

O anúncio aconteceu um dia após Fernando Azevedo e Silva ter deixado a Pasta federal. Para o lugar dele, foi nomeado o general da reserva Walter Souza Braga Netto, que antes comandava a Casa Civil.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política