Parlamentares comentam nas redes sociais atentado contra senador Cid Gomes

O ex-governador foi baleado no fim da tarde desta quarta-feira (19) ao confrontar manifestantes em um quartel em Sobral

Legenda: Cid Gomes é atingido por tiro em Sobral

Parlamentares usaram as redes sociais, nesta quarta-feira (19), para comentar o episódio em que o senador Cid Gomes (PDT) foi baleado, em Sobral, durante um protesto

Colega de parlamento de Cid, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) classificou os disparos como algo "grave". "Estamos atentos e preocupados com o ocorrido ao senador Cid Gomes. O que acontece em Sobral é grave. É inaceitável em qualquer hipótese atuações que empreguem o terror à população. Estamos aguardando mais informações e torcendo pela saúde de Cid", publicou.

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), que é oposição ao grupo do cearense em Brasília, disse que "esta situação em Sobral é inaceitável. Trata-se de um motim. Deve ser resolvida rapidamente e, se for necessário, com a intervenção do Ministério da Justiça".

>Davi Alcolumbre diz acompanhar 'com preocupação' desdobramentos de atentado contra Cid Gomes
>Vídeo mostra homens encapuzados em viaturas mandando comércio fechar as portas em Sobral

A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) publicou que "manifestação não é lugar de armas" e que "a Polícia tem armas exclusivamente para defender a vida". "Luta legítima é pacífica. Atenção: há grupos dentro de movimento de policiais criando o caos. Cuidado. Não é certo jogar máquina contra manifestantes, mas nada justifica tiros! Fato gravíssimo", escreveu.

Já o deputado federal Domingos Neto (PSD) prestou solidariedade ao aliado político. "As nossas orações estão com ele neste momento". Presidente licenciado do PDT no Ceará, o deputado federal André Figueiredo publicou que "virou rotina em ano eleitoral no Ceará greves de parte da Polícia com intenções eleitoreiras e que acabam virando tragédias".

O senador Tasso Jereissati (PSDB) prestou solidariedade ao colega de bancada no Senado. "Gostaria de expressar meu sentimento de profunda indignação e repúdio em relação ao episódio acontecido hoje em Sobral, ao mesmo tempo em que presto minha solidariedade ao senador Cid Gomes, vítima de uma violência inaceitável e criminosa. Desejo sua breve recuperação, na certeza da punição rigorosa dos que cometeram este ato".

O senador Major Olimpio (PSL-SP) publicou nas redes sociais que chegou a propor ao presidente do Senado a criação de uma comissão para acompanhar a situação que envolve a segurança pública no Estado. "Conflitos com policiais, manifestações de rua, acionamento de forças federais, tudo para acabar em tragédia. Momento de negociação com calma e experiência", disse.

Baleado, Cid também recebeu críticas. O deputado estadual Soldado Noelio (Pros) chamou o ex-governador de "inconsequente" por "tenta passar trator por cima de policiais". Segundo ele, isso "desestabiliza mais ainda o governo". "Nesse momento precisamos de pessoas que ajudem a sensibilizar o governador a resolver o problema, não de irresponsáveis que usam gasolina  na tentativa apagar um incêndio", postou.

Segurança

Em nota, o Ministério da Justiça já havia anunciado, logo depois do incidente, o envio de tropas para a garantir a segurança do parlamentar. "O Ministério da Justiça e Segurança Pública está acompanhando a situação no Ceará e analisando as providências que podem ser tomadas. Já foram enviadas equipes da Polícia Rodoviária Federal e Polícia Federal para Sobral para garantir a segurança do Senador Cid Gomes", diz a nota.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política