No Ceará, Baleia Rossi e Rodrigo Maia defendem nova política de desenvolvimento regional

Concorrendo à presidência da Câmara dos Deputados, Rossi afirmou que a prioridade zero, caso seja eleito, serão a reforma tributária e medidas para permitir a retomada da economia no País

Camilo Santana com Baleia Rossi e deputados
Legenda: Camilo Santana com, Rodrigo Maia, Baleia Rossi, senador Cid Gomes e deputados federais
Foto: Divulgação

Candidato à presidência da Câmara dos Deputados, Baleia Rossi (MDB) esteve nesta quarta-feira (13) no Palácio da Abolição em reunião com o governador Camilo Santana (PT) e parte da bancada cearense no Congresso Nacional. Junto com o atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM), Rossi defendeu medidas que garantam a retomada da economia, como a reforma tributária e uma nova política de desenvolvimento regional.

Estiveram no encontro apenas 12 dos 22 deputados federais do Estado, além do senador Cid Gomes (PDT). 

Apoiado por onze partidos, Rossi destacou como prioridade zero, caso seja eleito, a formulação de um projeto político que garanta a retomada do desenvolvimento e a volta do crescimento da economia. Ele ressaltou que o diálogo com governadores é essencial para entender as necessidades de cada estado e garantir igualdade entre os entes federativos. 

"Cada governador sabe as prioridades do seu estado. Estamos falando sobre a pauta federativa, sobre uma pauta de desenvolvimento regional", detalhou. "Portanto, é muito importante estar nos estados, para que eles possam nos orientar como conduzir de maneira igual a Câmara dos Deputados".

Com o recente anúncio sobre o fechamento das fábricas da Ford no Brasil, Rodrigo Maia acrescentou a urgência na discussão sobre uma nova política de desenvolvimento regional. "A gente precisa que o Nordeste e o Norte tenham as mesmas condições que têm o Sul e o Sudeste em todas as áreas, seja na infraestrutura, na educação, na saúde", enfatizou. 

Maia destacou ainda o papel de liderança do Ceará nesse processo, ao contar com bons índices de crescimento além de uma boa gestão pública. "E tenho certeza que todos nós queremos que o Brasil seja um só, com garantia de igualdade de condições entre regiões", afirmou. 

Reforma tributária

Os parlamentares também ressaltaram a necessidade da reforma tributária para a volta do crescimento. "Nós alertamos que o principal item da recuperação da competitividade das empresas brasileiras é a unificação dos impostos de bens e serviços", ressaltou Maia. 

"Esta é uma reforma que já está absolutamente madura para ser votada na Câmara e no Congresso. Ela irá destravar a economia, melhorar a competitividade das nossas empresas, desburocratizar um sistema tributário muito ruim e dar perspectiva do brasileiro ter emprego e renda", completou Rossi. 

Reunião
Legenda: Acompanhado de Rodrigo Maia, Baleia Rossi se reuniu com o governador Camilo Santana, o senador Cid Gomes e doze deputados federais da bancada cearense

Disputa

Apesar da maioria da bancada cearense na Câmara dos Deputados ser aliada a Camilo - que apoia a candidatura do emedebista -, os deputados cearenses estão divididos entre a candidatura de Rossi e a de Arthur Lira (PP), adversário apoiado pelo governo federal. No dia anterior ao encontro, estavam confirmados 17 deputados na reunião - número que acabou diminuindo para 12. 

Arthur Lira também visita Fortaleza para participar de reunião com aliados. Por um dia, os adversários não se encontraram na capital cearense. O líder do Centrão chega nesta quinta-feira (14). 

Indagado sobre a necessidade de atrair deputados dissidentes, após as definições partidárias, Rossi afirmou que preferia discutir os projetos políticos dos candidatos à presidência da Casa. 

"Reunimos partidos que, às vezes, pensam diferente sobre a economia ou sobre o papel do estado. Mas que, para defender os pilares que alicerçam a nossa candidatura, que é a defesa da democracia e uma Câmara independente, e para que haja o equilíbrio entre os Poderes, decidiram que esses pilares são mais importantes do que essas diferenças", afirmou.

Rossi ressaltou ainda as aprovações feitas pela Câmara dos Deputados durante a pandemia de Covid-19 e sob o comando do aliado Rodrigo Maia, como o auxílio emergencial e os repasses aos municípios.

"A Câmara independente consegue produzir muito mais do que uma Câmara submissa, que acaba sendo um cartório do que o executivo quer", enfatizou. 

Defesa das instituições

Questionado se existem condições jurídicas para abertura de impeachment contra Jair Bolsonaro, o candidato à presidência da Câmara Baleia Rossi (MDB) disse que agirá conforme a Constituição. “Todos os instrumentos de defesa da democracia precisam ser respeitados. Vamos agir de acordo com o que a Constituição prevê”, disse ele, após reunião em Fortaleza.

Apenas uma semana depois da invasão ao Capitólio dos Estados Unidos por apoiadores do presidente Donald Trump, Rossi afirma que o episódio "preocupa o mundo todo". Sobre a possibilidade de ocorrer algo semelhante no Brasil, ele garante: "nós, enquanto deputados federais, não vamos permitir que isso aconteça no nosso país". 

Parceria

O governador Camilo Santana (PT) ressaltou a parceria com Rodrigo Maia e destacou a independência do parlamento federal. “A Câmara e o Congresso Nacional tiveram um papel fundamental, com várias medidas importantes, em uma das maiores crises sanitárias da história desse País”, disse.

Camilo e Maia
Foto: Camila Lima

Ele listou o auxílio emergencial, o apoio a estados e municípios e a aprovação do Fundeb como medidas aprovadas pelos deputados. “São enormes desafios econômicos, sociais e eu não tenho dúvida de que o Baleia tem as características do diálogo, da compreensão e do debate franco”, disse. 

Rodrigo Maia também elogiou o petista e falou sobre a possibilidade de aliança com o governador para as eleições de 2022. 

“Somos de partidos que, em tese, estarão separados no 1° turno de 2022, mas, no 2° turno, não tenho dúvidas de que estaremos juntos. Se conseguirmos no primeiro, melhor ainda”, declarou Maia. 

O governador ainda comentou sobre a vacinação no Ceará. Ele confirmou participação em reunião com o ministro Pazuello na próxima terça-feira (19). Governadores planejam cobrar data para o início da vacinação. “Esperamos que ainda neste mês possamos começar a vacinação (no País) usando 12 milhões de doses, sendo 10 milhões do Butantan e 2 milhões de Oxford. Estamos prontos, é urgente”, disse Camilo.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política