Eleitores de 13 estados e Distrito Federal escolhem governadores amanhã

PSL e PSDB lideram disputa a governador em três estados cada

Amanhã, no segundo turno, 13 estados e o Distrito Federal vão escolher seus próximos governadores. Considerando as últimas pesquisas do Ibope e do Datafolha divulgadas sobre a disputa estadual, o PSDB e o PSL de Jair Bolsonaro são os partidos que têm mais candidatos na dianteira, três cada. Os tucanos lideram em São Paulo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul. O PSL está na frente em Santa Catarina, Rondônia e Roraima. 

Em seguida, aparecem o MDB de Michel Temer liderando em dois estados (Pará e Distrito Federal).  O PSC, ex-partido de Bolsonaro, também pode eleger dois governadores em Amazonas e Rio de Janeiro. Já o PT leva vantagem apenas no Rio Grande do Norte. O PSB pode vencer na eleição para o governo do Amapá, enquanto o PSD de Gilberto Kassab lidera em Sergipe. Novato em eleições, o partido Novo surpreendeu, no primeiro turno, e está na frente em Minas Gerais.

São Paulo

Maior colégio eleitoral do Brasil, São Paulo retrata uma disputa acirrada entre João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB). Na quinta-feira, o Datafolha apontou empate técnico: o tucano tem 52% e França, 48%, ou seja, no limite da margem de erro (dois pontos para mais ou para menos). Os dois postulantes ao governo paulista passaram todo o segundo turno tentando angariar aliados de Bolsonaro para o seu lado. E não hesitaram em criar material de campanha eleitoral unindo o seu “dream team”: BolsoDoria e BolsoFrança.

Candidatos ao Palácio dos Bandeirantes derrotados em primeiro turno que haviam manifestado apoio aberto a Bolsonaro também se dividiram: Paulo Skaf (MDB) e Major Costa e Silva (DC) ficaram com França, e Rodrigo Tavares (PRTB) se aliou a Doria.

Ontem, Doria reuniu três deputados do PSL para tentar reafirmar o seu alinhamento com Bolsonaro. A jornalista Joice Hasselmann, eleita deputada federal por SP, disse que a maioria da legenda no estado está ao lado do tucano. 

Participaram do anúncio Capitão Castello Branco (PSL) e Frederico D'Ávila (PSL), eleitos deputados estaduais em São Paulo, e dois aliados de Bolsonaro de outras legendas: os senadores Magno Malta (PR-ES), derrotado na campanha à reeleição, e José Medeiros (Podemos-MT), eleito para a Câmara dos Deputados.

Do lado de França, o nome bolsonarista de maior peso é o do senador eleito Major Olímpio (PSL), coordenador da campanha do presidenciável no Estado. Ele tem dito que quem vota no 17, número do PSL, não vota em tucano.

Estrategicamente, para não perder o voto petista, o pessebista não diz que apoia Bolsonaro e se manteve neutro em relação à eleição presidencial, o que o levou a ser atacado pelo adversário. “Perguntem em quem ele vota”, cobra Doria.

Para amenizar os desgastes, França tem feito frequentes eventos com aliados de Bolsonaro que se manifestam em favor de seu nome. Na quarta, reuniu cinco deputados estaduais e três federais eleitos pelo PSL que manifestaram apoio à sua reeleição. Apesar dos esforços de França, Doria é, segundo o Datafolha, o favorito do eleitores de Bolsonaro.

Desempenho dos candidatos em votos válidos

REGIÃO NORTE

Amapá
Capi (PSB): 53%
Waldez Góes (PT): 47%

Amazonas
Wilson Lima (PSC): 64%
Amazonino Mendes (PDT): 36%

Pará
Helder Barbalho (MDB): 58%
Marcio Miranda (DEM): 42%

Rondônia
Coronel Marcos Rocha (PSL): 63%
Expedido Junior (PSDB): 37%

Roraima
Antonio Denarium (PSL): 54%
José de Anchieta (PSDB): 46%

NORDESTE

Rio Grande do Norte
Fátima Bezerra (PT): 55%
Carlos Eduardo (PDT): 45%

Sergipe
Belivaldo Chagas (PSD): 58%
Valadares Filho (PSB): 42%


SUDESTE

São Paulo
João Doria (PSDB): 52%
Marcio França (PSB): 48%

Rio de Janeiro
Wilson Witzel (PSC): 56%
Eduardo Paes (DEM): 44%

Minas Gerais
Romeu Zema (Novo): 68%
Antonio Anastasia (PSDB): 32%

SUL

Santa Catarina 

Comandante Moisés (PSL): 59%
Gelson Merísio (PSD): 41%

Rio Grande do Sul

Eduardo Leite (PSDB): 60%
Ivo Sartori (MDB): 40%

CENTRO OESTE

Mato Grosso do Sul

Reinaldo Azambuja (PSDB): 51%
Juiz Odilon (PDT): 49%

Distrito Federal

Ibaneis (MDB) : 74%
Rodrigo Rollemberg (PSB): 26%

Fonte: Últimas pesquisas Ibope e Datafolha

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política