Advogado: O Recurso Preventivo Frequentemente Ignorado

Escrito por Victor Brasil ,
Victor Brasil é especialista em Contratos Negociais e CEO da Dias, Brasil e Silveira Advocacia
Legenda: Victor Brasil é especialista em Contratos Negociais e CEO da Dias, Brasil e Silveira Advocacia
Os problemas cotidianos, por mais que pareçam banais ou de lento desenvolvimento, seguem um arco vital que muitas vezes culmina em crises inesperadas. Na maioria das vezes, a tendência é negligenciar os sinais incipientes e só agir quando a situação atinge um ponto crítico. Este comportamento limita dramaticamente as nossas opções de resolução. Quando um problema escalona para uma crise, as soluções disponíveis se tornam não apenas escassas, mas também mais onerosas.
 
Nesse cenário, a figura do advogado surge como um farol de prevenção, embora muitos o considerem apenas um último recurso. A ideia de consultar um advogado evoca, para muitos, imagens de tribunais e litígios, uma visão que relega estes profissionais a solucionadores de crises, quando, na verdade, sua maior contribuição pode estar na prevenção dessas situações.
 
Consultar um advogado não deveria ser uma medida desesperada, mas uma prática preventiva. Estes profissionais estão capacitados para orientar indivíduos e empresas sobre como agir dentro dos marcos legais, evitando a escalada de conflitos. Seja em questões contratuais, disputas de propriedade, questões trabalhistas ou regulamentações corporativas, a intervenção precoce de um advogado pode poupar não apenas recursos financeiros, mas também o desgaste emocional envolvido.
 
Além disso, a orientação jurídica adequada pode evitar que pequenos desentendimentos se transformem em litígios complexos. O advogado correto, com sua expertise, pode oferecer soluções criativas e eficazes que preservam relações e promovem uma cultura de compliance e entendimento mútuo.
 
Portanto, é essencial que mudemos nossa percepção sobre o papel dos advogados na sociedade. Ao invés de vê-los como uma escolha de último recurso, deveríamos considerá-los parceiros essenciais na gestão de nossas vidas e negócios. Afinal, a prevenção é sempre mais vantajosa que o remédio. Ao integrar o advogado às nossas decisões cotidianas, estaremos não apenas salvaguardando nossos interesses, mas também promovendo uma sociedade mais justa e bem regulada.
 
Adotar uma postura proativa na consulta a advogados é, sem dúvida, um investimento que promove a tranquilidade e a segurança. Encorajo todos a considerarem essa mudança de paradigma, onde o advogado não é mais visto apenas como defensor em tempos de crise, mas como um conselheiro preventivo essencial.
 
Victor Brasil é especialista em Contratos Negociais e CEO da Dias, Brasil e Silveira Advocacia
 
Conceição Martins é advogada
Conceição Martins
14 de Julho de 2024
Jornalista e senador constituinte
Mauro Benevides
11 de Julho de 2024