Reserva contra a Chapecoense, Vina comenta opção de Guto: "ninguém é insubstituível"

Camisa 29 foi o principal jogador do time no Brasileirão 2020, mas não vem apresentando boas atuações os últimos jogos

Vina em entrevista
Legenda: Vina iniciou como reserva no empate em 0 a 0 contra a Chape
Foto: Reprodução/Premiere

O Ceará ficou no empate em 0 a 0 com a Chapecoense, na noite deste domingo (13), pela 3ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. Na partida, chamou atenção que o meia Vina foi barrado no time titular. O técnico Guto Ferreira optou por utilizar Jorginho desde o início, deixando o principal jogador da equipe na última temporada no banco.

Vina entrou no 2º tempo, mas pouco participou do jogo. Após a partida, o camisa 29 concedeu entrevista ao canal Premiere e comentou a decisão do treinador.

"Acho que ninguém é insubstituível. É a força do elenco. Jorginho entrou e entrou muito bem, jogador que vem procurando espaço. Desde que cheguei ao Ceará, sempre respeitei muito os jogadores da minha posição. Baxola, Wescley...hoje tem Jorginho, Marlon. Tem um respeito muito grande. Eu tenho a consciência que talvez não esteja vivendo um bom momento, mas tudo que é bom passa, assim como o que é ruim também. É fortalecer. Como ser humano, como atleta, e procurar sempre evoluir para estar ajudando o Ceará", disse.

O meia-atacante falou ainda sobre o placar do jogo, garantindo que não foi um resultado satisfatório para o Alvinegro.

"A gente sabe que aqui (em Chapecó) é difícil jogar. Pontuamos, óbvio que não era o que a gente queria, com todo respeito a equipe da Chapecoense. É momento de a gente fechar o grupo, momento que não é bom, a gente tem consciência disso, mas só nós jogadores e a comissão técnica podemos tirar o Vozão dessa situação".

O Ceará volta a jogar na quinta-feira (17), para enfrentar o Bahia, na Arena Castelão, pela 4ª rodada da Série A do Brasileirão

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte