Paulo André tem pagamento do Bolsa Atleta suspenso por participar do BBB 22

O benefício considerava os resultados alcançados em 2019 pelo velocista

O brasileiro Paulo André Camilo De Oliveira reage após vencer as eliminatórias masculinas de 100m no Campeonato Mundial de Atletismo da IAAF 2019 no estádio Khalifa International em Doha
Legenda: O esportista foi medalhista de prata nos Jogos Pan-Americanos de Lima, em 2019
Foto: AFP

O Governo Federal decidiu suspender o pagamento do Bolsa Atleta, no valor de R$ 1.850, para o velocista Paulo André por ele ser medalhista de prata nos Jogos Pan-Americanos de Lima, em 2019. A Secretaria Especial do Esporte informou que devido à participação do esportista no BBB 22, ele não está cumprindo o programa anual de treinamento apresentado em janeiro de 2021. 

"A Consultoria Jurídica do Ministério da Cidadania já emitiu parecer sobre a participação de Paulo André Camilo de Oliveira no Big Brother Brasil, da TV Globo. A pasta encaminhou notificação para o atleta e aguarda a manifestação dele para dar andamento ao processo. Cabe informar que o pagamento foi suspenso preventivamente, já que a lei que disciplina o Programa Bolsa Atleta exige a continuidade dos treinos durante todo o período de recebimento do benefício", informou a pasta ao portal Uol. 

A equipe responsáveis pela carreira do atleta foi procurada pela reportagem da publicação, mas não se manifestou sobre o assunto. 

Paulo André está confinado no reality show há mais de dois meses, mas o caso só chamou atenção do Ministério da Cidadania na semana passada, após um jornalista questionar o ministro João Roma (Republicanos) sobre o assunto. Na ocasião, o político declarou que não tinha informações sobre o caso e acionaria a consultoria jurídica da pasta e a Secretaria do Esporte. 

Benefício é referente ao desempenho de 2019

O Bolsa Atleta paga ao brother de R$ 1.850 é devido à medalha de prata conquistada pelo velocista nos 100m nos Jogos Pan-Americanos de 2019. Como o Governo Federal não abriu edital em 2020, ele não recebeu o benefício naquele ano e só se inscreveu pelo resultado no edital de 2021, cujos pagamentos seguem até maio ou julho de 2022, três anos após a competição. 

Conforme o portal Uol, entre os documentos que deviam ser encaminhados no ato da inscrição do auxílio financeiro, em janeiro de 2021, estava um "plano esportivo anual, com plano de treinamento, objetivos e metas esportivas para o ano do recebimento do benefício". Porém, como o edital é de 2021, subentende-se que o planejamento era referente ao ano passado, ou seja, se encerrou antes de Paulo André ingressar no BBB. 

No entanto, como o Governo atrasou em um mês e meio a divulgação da lista de selecionados para o programa, acontecendo somente em maio, os pagamentos se estenderam até 2022. Com o benefício suspenso, Paulo André não deverá receber as parcelas de abril, de maio e, dependendo de quando assinou o termo de compromisso, de junho.

Atleta foi destaque em 2021

No ano passado, durante a vigência da bolsa suspensa nesta semana, Paulo André foi campeão brasileiro, campeão brasileiro universitário e semifinalista olímpico nos 100m. Já nos 200m, ele foi vice-campeão brasileiro e campeão universitário. Com o revezamento, disputou a final do Mundial de Revezamentos — o Brasil cruzou a linha de chegada em segundo lugar, mas a equipe foi eliminada por um erro na passagem de bastão — e a semifinal olímpica. 

Quando entrou no BBB 22, as inscrições para a próxima edição do Bolsa Atleta não haviam sido abertas. No entanto, o esportista deixou uma equipe responsável pela inscrição no programa — que já está fechada. 

Como o benefício considera o desempenho dos participantes no ano anterior, Paulo André deve ser contemplado na categoria "atleta olímpico", que está acima da que ele ocupava, e paga mensalmente R$ 3.100. A lista de selecionado para o Bolsa Atleta de 2022 está prevista para ser divulgada na segunda quinzena de abril. 

Independentemente do reality show, o velocista não costuma competir antes de março, principalmente em anos de Mundiais Indoor, como em 2022, já que ele não participa da categoria de 60m rasos. Em 2018, por exemplo, ele só estreou em 13 de abril. Já em 2020, devido à pandemia, não chegou a correr. 

Ao portal Uol, a equipe responsável pela carreira do esportista explicou que está tratando o período em que está no programa como se ele estivesse lesionado. Para atletas de alto rendimento, como o brother, é normal que lesões de gravidade média ou alta ocupem entre três ou quatro meses de treinos, sendo possível recuperar o período de preparação para as competições dentro da mesma temporada. 

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte