Lucas Mugni avalia saída de jogadores: 'jogador que não quer ficar no clube tem que sair'

Alvinegro volta a campo na sexta-feira, contra o Paysandu, em mais uma rodada da Série B

Legenda: Lucas Mugni, jogador do Ceará.
Foto: Gledson Jorge/Ceará SC

O Ceará se prepara para enfrentar o Paysandu na próxima rodada da Série B Brasileiro. Sob comando do novo técnico Léo Condé, que substituiu Mancini, o grupo busca voltar a vencer. O meia Lucas Mugni, um dos reforços do Alvinegro para a temporada 2024, avaliou o desempenho do time que tem um dos melhores ataques da competição, mas ainda sofre na defesa. Além disso, comentou a saída de jogadores, como a do zagueiro Jonathan.

Como o Mancini gostava de jogar, é assim mesmo. Era pegar a bola, tentar chegar no gol, ser o mais vertical possível. Isso tem o lado positivo, a gente fez muito gol. E tem o lado negativo. Quando você não finaliza corretamente a jogada, e é muito difícil em 90 minutos finalizar sempre bem a jogada. Você vai perder a bola, finalizar errado, o adversário também joga. Quando você tem essa característica, uma hora ou outra vai sofrer muito contra-ataque. Era o que estava acontecendo. Era uma característica que tínhamos dentro desse estilo de jogo. Isso que aconteceu estava dentro do que podia acontecer. Acho que no estadual competíamos com adversários com um pouco menos de qualidade, então a gente cedeu menos. E na Série B, obviamente, a gente cometeu erros, pagamos muito caro.
Lucas Mugni
Jogador do Ceará

Guilherme Castilho, Janderson, Bruninho e Jonathan deixaram o Ceará neste meio de temporada. Lucas Mugni avaliou a saída dos atletas e ressaltou o contexto.

"Sou do pensamento de que jogador que não quer ficar no clube tem que sair. Eu seria assim se fosse diretor do Ceará hoje, eu também facilitaria a saída. Sei que para a torcida é difícil, mas um jogador que tá passando um mau momento, está triste... Não por culpa do Ceará, nem por ninguém. Talvez ele não se adaptou ou já está com outros problemas pessoais e não conseguiu se desempenhar bem, tem que sair. Ou se tem uma oportunidade melhor. É difícil. Obviamente precisa chegar num consenso para que o Ceará também se beneficie. Não sei como foi a sáida dos meus companheiros. Vão chegar mais jogadores também. Acho que foi uma boa escolha se esses jogadores queriam sair e o Ceará liberou", explicou. 

"No caso do Jonathan me parece que foi uma decisão mais difícil, ele estava atuando bem. A defesa mudou bastante com a entrada dele. Mas é uma oportunidade muito boa para ele. Acho que essa oportunidade, no futebol, a gente não sabe se vai ter de novo. Eu estou bem aqui. Prefiro ficar aqui até acabar o ano, vejo que temos condições de subir, gostaria muito. Só no final vamos ver se a decisão foi boa, foi certa, se o time foi bem ou não", completou.

O Alvinegro está em 11º na tabela com 19 pontos. A equipe enfrenta o Paysandu na sexta-feira (12), fora de casa. O duelo, válido pela 15ª rodada, terá início às 21h30 (de Brasília). 

 

VEJA A ENTREVISTA COMPLETA: