Lisca é o novo técnico do Ceará

Treinador já deve comandar o time contra o Botafogo, próximo adversário do Ceará no Brasileirão

Lisca é o novo técnico do Ceará para a sequência da Série A do Campeonato Brasileiro e Copa do Nordeste. Após o então técnico Jorginho entregar o cargo após a derrota para o Cruzeiro no último domingo (3) pela 9ª rodada da Série A, o Vovô agiu rápido e contratou o gaúcho para o cargo.

Com um compromisso pela Série A já na quarta-feira (6), contra o Botafogo/RJ pela 10ª rodada, às 19h30 no estádio Nilton Santos, Lisca já encontrará o grupo no Rio de Janeiro, nesta noite. Os jogadores embarcaram na tarde de hoje, após treino comandado pelo auxiliar técnico permanente, Daniel Azambuja.

Lisca chega ao Ceará com a missão de tirá-lo da crise vivida na elite do futebol nacional. Em 9 rodadas, o alvinegro ainda não venceu, perdendo 6 partidas e empatando 3, ocupando a 20ª e última colocação. O treinador é um velho conhecido do torcedor do Ceará, que o tem como ídolo após o 'milagre' de 2015, quando o técnico assumiu o clube no Z-4 da Série B restando 9 rodadas para o fim do certame e evitou a queda alvinegra. Em 9 jogos foram 6 vitórias e um empate, conquistando a maior reação da história da Segundona. O treinador permaneceria para 2016, mas não resistiu a eliminação no Campeonato Cearense antes das semifinais, apesar da melhor campanha na fase de grupos da Copa do Nordeste.

Pela manhã, contactado pelo Diário do Nordeste, Lisca afirmou que vinha acompanhando o Ceará e acertou prontamente o convite, que seria confirmado no início da noite.

"Houve um contato na madrugada. Perguntaram se eu tinha vontade. Ficamos de conversar para acertar detalhes agora de manhã".

Lisca vem acompanhando assiduamente os jogos do Ceará e não ficou em cima do muro ao ser perguntado sobre o desempenho do time. "Precisa dar uma mexida boa. Se reestruturar como time. Está muito desorganizado, definir melhor a função", explicou.

O técnico também concorda que existe um trunfo com relação ao Ceará que é a pausa para a Copa do Mundo, mesmo com a Copa do Nordeste pelo caminho (Vovô enfrenta o Bahia na semifinal do torneio). "Um fator que ajuda, apesar de ter a Copa do Nordeste. Precisamos introduzir algumas situações de jogo. Daquela vez (em 2015) tinha uns 15 dias.  Tem que ter trabalho. Conversa. Poder de convencimento. Que se sintam bem dentro da proposta".

Sobre os jogadores do elenco alvinegro, o treinador afirma que já trabalhou com a maioria. "Conheço quase todos. Everson, Samuel, Luiz Otávio e Rafael Pereira. Ricardinho, Richardson, Naldo. Todos trabalharam comigo", revelou.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte