Análise: Leão é efetivo e tem vantagem ampliada

O Tricolor de Aço venceu o Vovô por 2 a 1 com gol nos acréscimos e ampliou mais ainda sua vantagem, podendo agora perder por um gol de diferença no jogo de volta, no dia 21 de outubro, para ser bicampeão cearense

Legenda: Leão pode perder por um gol de diferença na final para levar o título
Foto: Thiago Gadelha

O Clássico-Rei é um duelo que sempre entrega disputa, emoção e tudo isso é amplificado em finais de campeonato. Ontem, na Arena Castelão, pelo 1º jogo da final do Estadual, foi mais uma prova da magnitude do Clássico-Rei, um dos maiores do país e vivendo momento especial em sua história centenária, com os dois na Série A.

Ouça o FortalezaCast

Powered by RedCircle

Em um jogo muito disputado, com variações táticas e muita entrega, o Fortaleza venceu por 2 a 1, com um gol de Tinga aos 46 minutos do 2º tempo, ampliando sua vantagem na decisão e se aproximando do bicampeonato.

Ouça o CearáCast

Powered by RedCircle

O Leão, que já tinha a vantagem de dois resultados equivalentes por ter a melhor campanha na classificação geral do Campeonato Cearense, pode até perder por um gol de diferença no dia 21 que levantará a taça pela 44ª vez.

Para o Vozão, só uma vitória por dois ou mais gols de diferença dará sua 47ª taça do Estadual.

Veja os gols do jogo

Mas antes de voltarem a duelar pelo Cearense, daqui a 21 dias, que aliás será o maior intervalo entre um jogo e outro de uma final devido ao calendário apertado pela pandemia de Covid-19, as equipes terão compromissos importantes pela Série A e Copa do Brasil.

Os mais próximos, pelo Brasileiro, o Vovô joga no sábado (3), às 19 horas, fora de casa, contra o Palmeiras, no Allianz Parque, enquanto o Leão joga no dia seguinte, no domingo, às 18h15, na Arena Castelão, contra o Atlético/GO.

Análise de André Almeida

Voltando ao jogo, a partida de ontem foi a 4ª entre Guto Ferreira, no Ceará, e Rogério Ceni, no Fortaleza. E com três duelos, entendimento do adversário e muito estudo por parte dos treinadores, surpresas na escalação poderiam acontecer, como foi visto. Rogério Ceni utilizou de uma estratégia mais reativa para o início do confronto, já que seu time tinha a vantagem de resultados equivalentes e já tinha sofrido com posturas reativas do Ceará de Guto Ferreira.

Ceni pôs o volante Ronald para fortalecer o meio-campo, deixando o centroavante Wellington Paulista no banco.

No Ceará, o volante Fabinho retornou após se recuperar de lesão e dar mais consistência defensiva para o confronto. E, pela necessidade, o jogo fluiu da forma que se esperava, já que o Ceará precisava tomar a iniciativa do jogo, para reverter a vantagem do adversário.

Legenda: No 1º gol do Leão, Bruno Melo e Pacheco se chocaram de cabeça em cena forte
Foto: THIAGO GADELHA

E a estratégia do Ceará foi muito bem executada em grande parte do 1º tempo, com a equipe alvinegra sendo superior. Melhor posicionada, a equipe de Guto Ferreira conseguiu envolver o sistema defensivo do Tricolor de Aço, que não se encaixou, mesmo com a adição de Ronald.

Assim, com aproximação para tabelas em todos os setores e toques rápidos, sua maioria de primeira, o Ceará criou as melhores oportunidades de abrir o placar.

Aos 10 minutos, Leandro Carvalho cruzou pela esquerda, a bola chegou em Fernando Sobral: ele tirou do zagueiro e chutou para o gol, mas o bem colocado Gabriel Dias salvou em cima da linha.

Um minuto depois, Rafael Sóbis recebeu em boa situação e finalizou para a defesa de Felipe Alves.

Aos 21, Leandro Carvalho chegou pela esquerda e cruzou para o meio da área. Bruno Melo passou da bola, e Fernando Sobral não conseguiu chegar a tempo de finalizar.

Legenda: O Ceará fez um 1º tempo consistente e empatou com gol de Rafael Sóbis
Foto: THIAGO GADELHA

Aos 30 minutos, Tiago Pagnussat assustou no cabeceio após cobrança de escanteio.

Ou seja, foram quatro grandes chances do Ceará para abrir o placar, mas faltou efetividade ao alvinegro.

Para completar, após erro de passe de Vina, Rafael Sóbis reclamou muito do companheiro e ambos discutiram. Os jogadores do Vovô precisaram intervir e pedir calma para os dois.

E se faltou efetividade ao Ceará, no primeiro lance de perigo do Fortaleza, o time leonino abriu o placar. Após cobrança de escanteio, Bruno Melo cabeceou e fez o gol do Leão. Mas na hora da cabeçada, Bruno Melo e Bruno Pacheco se chocaram e sangraram muito dentro de campo. Os dois precisaram ser atendidos, com Bruno Melo retirado de ambulância e Pacheco atendido no vestiário.

Ambos, que ao fim do jogo já estavam bem após atendimento, foram substituídos por Carlinhos e Alysson.

E o lateral alvinegro foi decisivo para o gol do empate do Ceará, aos 50 minutos. Após jogada de Vina, Alysson cruzou rasteiro na medida para Sóbis empatar.

Insatisfeito com o desempenho tricolor na etapa inicial, Ceni mudou a equipe para o 2ºtempo, com Yuri César e Tinga, nos lugares de Osvaldo e Felipe. Guto Ferreira também mudou, mas forçadamente, logo aos seis minutos, com a lesão de Samuel Xavier, entrando Eduardo.

O jogo continuou equilibrado, mas com a intensidade mais baixa que na etapa inicial. O empate não era um resultado ruim para Leão e Vovô, deixando o confronto aberto para o 2º jogo, com as equipes arriscando menos até os 20 minutos. A rigor, de chance de gol, apenas a cabeçada de Gabriel Dias raspando a trave de Prass.

Legenda: Tinga foi o herói da vitória tricolor, comemorando próximo do banco do Ceará
Foto: KID JUNIOR

Mudanças

Foi quando as mudanças de Ceni e Guto mudaram o panorama do jogo, dando mais ritmo ao clássico, sendo que claramente o Tricolor melhorou seu nível com as entradas de Wellington Paulista e Fragapane. Já o Ceará, perdeu o encaixe no meio campo e ataque com as entradas de Ricardinho, Mateus Gonçalves e Bergson.

Com um centroavante como Wellington Paulista no jogo, o Tricolor passou a concentrar ataques perigosos com bolas alçadas na área, e em uma delas, aos 37 minutos, em lance do centroavante com o zagueiro Tiago Pagnussat, a arbitragem precisou revisar um lance de pênalti, não confirmado pelo Marcelo de Lima Henrique.

Ricardinho ainda criaria uma chance para o Ceará em cobrança de falta que Felipe Alves defendeu, mas foi o Leão decidiu o Clássico-Rei aos 46 minutos, aproveitando a sobra de bola após falta alçada na área com um iluminado Tinga fuzilando Prass.

Ficha Técnica

Campeonato Cearense - 1ª Final
Arena Castelão, em Fortaleza (CE)
30 de setembro

Ceará 1

Fortaleza 2

Fernando Prass, Samuel Xavier (Eduardo), Tiago Pagnussat, Luiz Otávio, Bruno Pacheco (Alyson), Charles,
Fabinho (Ricardinho), Fernando Sobral, Vinícius, Leandro Carvalho (M. Gonçalves), Rafael Sobis (Bergson). Técnico: Guto Ferreira

Felipe Alves, Gabriel Dias, Jackson, Paulão, Bruno Melo (Carlinhos), Juninho, Ronald, Felipe (Tinga),
Romarinho (Fragapane), Osvaldo (Yuri César), David (W. Paulista). Técnico: Rogério Ceni

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ). Gols: Bruno Melo e Tinga (Fortaleza) e Rafael Sóbis (Ceará). Cartões amarelos: Eduardo (Ceará) e Ronald e Fragapane (Fortaleza)

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte