Policial Militar preso por atear fogo em carro de mulher no Crato é solto em audiência de custódia

O Ministério Público não pediu a prisão preventiva do policial militar porque ficou caracterizado, inicialmente, como crime de dano