Quais as provas contra os réus da Chacina do Benfica

Polícia Civil e Ministério Público do Ceará reuniram provas materiais capazes de levar os réus ao Tribunal Popular do Júri. Peças vão de boné encontrado na cena do crime a imagens obtidas via câmeras de segurança

Escrito por Cadu Freitas, carlos.freitas@diariodonordeste.com.br

Segurança

Com base nas investigações sobre a Chacina do Benfica realizadas pela Polícia Civil do Ceará e o Ministério Público do Estado, foram encontradas peças acusatórias que ligam os réus Douglas Matias da Silva, Stefferson Mateus Rodrigues Fernandes e Francisco Elisson Chaves de Souza à cena do crime ou ao veículo supostamente utilizado por eles na noite de 9 de março de 2018.

Dos três, Douglas Matias é o que terá a situação mais complicada perante o Tribunal Popular do Júri. Além de o carro utilizado na ação ter sido encontrado no apartamento de sua ex-namorada enquanto estava no local e a placa do veículo ser clonada, câmeras de vigilância atestam o uso do automóvel por ele na noite dos crimes. 

Confira algumas das provas materiais que levaram os réus à pronúncia:

1. De acordo com a apuração policial, um boné encontrado na cena do crime na Praça da Gentilândia também pertence a Douglas Matias. Isso porque os investigadores averiguaram, por câmeras de segurança do prédio da sua ex-namorada, que ele havia saído com o objeto na cabeça, na noite do crime e voltado sem ele. A comprovação ocorreu devido à uma postagem de uma foto em uma rede social na qual ele aparece com a ex-namorada e o boné na cabeça, antes dos crimes no Benfica.

2. Projéteis de uma mesma arma ligam os três locais dos crimes; eles vitimaram Carlos Victor Meneses Barros (na Vila Demétrio), Joaquim Vieira de Lucena Neto (na Praça da Gentilândia) e Emilson Bandeira de Melo (na Rua Joaquim Magalhães). Um dos disparos que vitimou a segunda vítima na sede da TUF, o jovem Adenilton da Silva Ferreira, saiu da pistola encontrada pela Polícia Civil na casa de Douglas, no dia 11 de março de 2018.

3. O carro principal utilizado nos crimes, um Fiat Punto branco, foi registrado por câmeras de segurança na Vila Demétrio e na Rua Joaquim Magalhães. Nas imagens, dois algozes desembarcam do veículo, no primeiro local e, após matarem dois jovens nas proximidades da sede da TUF, em segundos, voltam ao automóvel. Há imagens também do assassinato na Rua Joaquim Magalhães, na qual mais dois jovens foram mortos; segundo a Polícia, três pessoas descem do Fiat Punto e atiram contra uma dupla vem, em uma moto, em sentido contrário.

4. Laudo da Perícia Forense do Ceará (Pefoce), realizado no Fiat Punto branco apreendido no apartamento da ex-namorada de Douglas Matias, atesta que um fragmento de impressão digital encontrado na parte interna do vidro traseiro direito do automóvel pertence ao réu Stefferson Fernandes. A digital o liga diretamente ao veículo e, por conseguinte, aos crimes ocorridos no Benfica, segundo as investigações.

5. Elisson Chaves foi reconhecido por pelo menos duas testemunhas que estavam na Praça da Gentilândia no dia dos crimes e prestaram depoimentos à Polícia Civil. Uma afirmou ter 100% de certeza da sua ação no local e a outra disse que ele parecia “com uma pessoa que atirou (..) devido à falha na sobrancelha”.

O Diário do Nordeste entrou em contato com a Defensoria Pública, que é responsável pela defesa dos três réus, mas a assessoria informou que não iria se pronunciar sobre o caso. O MPCE também foi contatado, porém o promotor responsável pela denúncia dos réus não quis gravar entrevista.