Polícia espera redução de homicídios em Caucaia após prisão

Líder de facção criminosa foi encontrado em apartamento de alto padrão, em Teresina, no Piauí. Investigadores acreditam que ele tenha ordenado dezenas de assassinatos em Caucaia. Comparsa continua sendo procurado pela Polícia

Legenda: Cerca de 120 policiais participaram da Operação Focus, que prendeu um total de oito suspeitos
Foto: Cícero Oliveira/ SSPDS

A prisão de Francisco Cilas de Moura Araújo, conhecido como 'Mago', líder da facção criminosa Comando Vermelho (CV) em Caucaia, foi comemorada pela Polícia. Um dos efeitos esperados pelas autoridades é a redução de homicídios no Município da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

Caucaia sofre com um dos piores índices de violência do Estado. Do início de 2020 até o dia 28 de junho (os dados desse mês ainda não foram consolidados), o Município registrou o total de 216 homicídios (média de mais de um por dia). Em igual período do ano passado, foram 107 assassinatos. O que representa um aumento de 50,4% no índice.

A Polícia acredita que muitos desses crimes tenham sido ordenados por 'Mago'. "Uma grande prisão, representa com certeza um duro golpe nessa organização criminosa que ainda teima em atuar no nosso Estado. A essa pessoa, são imputados vários crimes na área de Caucaia, como homicídios e disputa pelo território para o tráfico de drogas. Temos certeza que, com essa prisão, teremos uma calmaria desses índices na área de Caucaia", afirmou o superintendente da Polícia Civil do Ceará (PCCE), delegado Marcus Rattacaso.

'Mago' era considerado foragido da Justiça desde 14 de julho de 2016, quando fugiu do Instituto Penal Professor Olavo Oliveira II (IPPOO II) por meio de um túnel. Ele tinha quatro mandados de prisão em aberto por homicídio, organização criminosa e porte ilegal de arma de fogo.

Ele foi encontrado na última segunda-feira (6), com a deflagração da Operação Focus, pela Delegacia de Combate às Ações Criminosas Organizadas (Draco). 'Mago' estava escondido em um apartamento de alto padrão, em Teresina, no Piauí, junto da mulher, de filhos e de um amigo, e não esboçou reação à abordagem policial. Na residência, foi apreendido um documento falso na posse do líder da facção, além de um anel templário, com a inscrição 'MG' (referente ao apelido do mesmo), o qual a Polícia ainda avalia o preço.

"Ele estava residindo como se fosse um 'cidadão comum'. O detalhe é que os vizinhos não viam o Cilas. Ele ficava basicamente dentro do apartamento, ninguém tinha contato com ele, a não ser os familiares", disse o delegado adjunto da Draco, Alisson Gomes, responsável pela Operação. Segundo o delegado titular da Draco, Harley Filho, o foragido residia no local há cerca de um mês.

"Antes, ele vivia em um matagal, dentro da Caucaia, que era a região que ele conhecia, nasceu e se criou lá. Mesmo no matagal, ele conseguia recrutar pessoas para o grupo criminoso", detalhou.

Recompensa

'Mago' e o comparsa Alban Darlan Batista Guerra se tornaram os principais alvos da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), devido principalmente ao aumento da violência em Caucaia, a ponto da Pasta oferecer recompensa de R$ 10 mil por informações sobre os dois homens, no início deste ano. "A gente recebeu, nesse período, um grande volume de informações de onde ele ('Mago') estaria se escondendo. Todos esses dados ajudaram na investigação, que resultou na prisão", revelou o titular da SSPDS, André Costa, acrescentando que as informações estão sendo avaliadas pela Comissão Estadual do Programa de Recompensa e que o procedimento é sigiloso.

Já Alban Darlan continua foragido e sendo procurado na Operação Focus. Ele é o fundador da facção Comando da Lage (CDL), um braço do CV no bairro Padre Júlio Maria, em Caucaia. Cerca de 120 policiais participaram das buscas pelos comparsas de 'Mago', ontem, que resultaram na prisão de outros sete homens.

Os suspeitos detidos foram identificados como: Jean Teixeira dos Reis, de 23 anos; Adriano Márcio Aliança Góis Júnior, 21; Hamilton da Silva Pequeno, 41; Ismael Gomes da Silva Neto, 33; Webbster Azevedo dos Santos, 39; Wellington de Souza do Nascimento, 45; e Ivan de Souza Vieira, 40. Eles tinham mandados de prisão em aberto por crimes como homicídio, roubo, receptação e tráfico de drogas.


Assuntos Relacionados