Execução de comerciante teria motivado chacina em Caucaia, diz delegado

Segundo as investigações, o homicídio foi executado por um grupo criminoso no dia anterior a matança e, em resposta, a organização rival assassinou o quarteto

Chacina Caucaia 2021
Legenda: Entre os mortos na matança estavam o servente de pedreiro José Edinaldo Rodrigues da Silva, de 29 anos, e um adolescente de 15 anos
Foto: Leábem Monteiro

O assassinato de um comerciante teria motivado a chacina que matou quatro pessoas em Caucaia no domingo (11). Conforme as investigações, o homicídio foi executado por um grupo criminoso no dia anterior a matança e, em resposta, a organização rival assassinou o quarteto. 

O empreendedor foi executado com diversos disparos de arma de fogo, no dia 10 de abril, na própria casa, no bairro Picuí, por integrantes de uma organização criminosa, detalhou o titular da Delegacia Metropolitana de Caucaia (DMC), delegado Huggo Leonardo. Os assassinos chegaram a filmar o crime.

A atuação do grupo acabou provocando desentendimentos, pois a área em que a residência da vítima está localizada é de domínio de outro grupo criminoso, que desaprovou a iniciativa e decidiu realizar a chacina no dia seguinte. 

"Houve uma execução de um indivíduo no Bairro Picuí. Segundo informações, ele era também cidadão. E foi executado pela facção criminosa de origem carioca, na área da facção criminosa local. No último domingo, a facção criminosa local, em vingança da morte no Picuí, cometeu a chacina que ocorreu no Parque São Geraldo", explicou o delegado em entrevista ao Sistema Verdes Mares. 

Prisão e troca de tiros

Um homem suspeito de envolvimento na chacina foi preso na terça-feira (13), informou a Polícia Civil. Identificado como Francisco Alisson Ferreira de Sousa, o "Grandão", 27 anos, seria um dos executores do crime. 

Ele já responde por homicídio, porte e posse irregular de arma de fogo, além de crime contra a incolumidade pública.

Francisco Alisson foi capturado em uma casa de praia em Iparana, a qual, segundo o titular da DMC, foi alugada para que os criminosos pudessem se esconder. Outro suspeito que estava com ele conseguiu fugir.

Em seguida à captura, o suspeito confessou o crime e foi autuado em flagrante. Conforme o delegado, um assassinato ocorrido no bairro Picuí teria motivado a chacina no Parque São Gerardo, realizada por vingança.

No mesmo dia do crime, 11 de abril, outro suspeito de envolvimento na chacina morreu durante uma troca de tiros com a Polícia. Identificado como Robson de Souza, 22 anos, ele seria o mandante da matança, acredita a Polícia. 

A prisão de Francisco Alisson foi decretada na quarta-feira (14) pelo juiz Carlos Eduardo de Oliveira Holanda Júnior, da Vara Única do Júri da Comarca de Caucaia. O magistrado determinou, ainda, que Antônio Carlos da Silva Oliveira e Michael da Silva Machado ficassem detidos por pelo menos 30 dias devido ao crime.

De caráter temporário, as prisões são consideradas pelo juiz como imprescindíveis para a investigação. Para ele, a detenção serve para "evitar o sentimento de impunidade que paira na coletividade quando da prática de delitos graves".

Na decisão, o magistrado ainda oficiou o Ministério Público do Ceará (MPCE) para que lesões achadas em Francisco Alisson e indicadas em laudo de corpo de delito após o flagrante, bem como a morte de um dos suspeitos do crime durante o confronto com os agentes, fossem investigadas

Chacina

Três homens, entre eles um adolescente de 15 anos, e uma mulher foram assassinados na noite deste domingo (11), no bairro Parque São Gerardo, em Caucaia. Conforme relato de testemunhas, as vítimas estavam consumindo bebidas alcoólicas, no cruzamento das ruas São Paulo com Esteban Rios, quando foram surpreendidas pelos criminosos, que chegaram a pé.

Pichação Caucaia
Legenda: Pichação feita em um muro próximo ao local que o fato aconteceu faz alerta para moradores do entorno
Foto: Leábem Monteiro

O delegado Huggo Leonardo afirmou que as quatro pessoas não possuem passagem pela polícia, e o crime se trataria de uma "vingança" entre facções rivais por disputa de território em Caucaia. 

À reportagem, a mãe do adolescente informou que ele não tinha nada a ver com a situação, e que havia ido à mercearia que fica próxima ao cruzamento para comprar doces e bombons.

"Elas estavam na rua; dois deles eram pedreiros, uma moça que estava comprando churrasquinho e um rapaz que tinha ido comprar alguma coisa na mercearia", explicou o delegado. 

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança