Casal que cobrava para 'dar celeridade' à liberação de precatórios no Ceará é preso em Maracanaú

Dupla foi presa por suspeita de estelionato

Escrito por Redação,

Segurança
Polícia Civil cumpre mandado de prisão em Maracanaú.
Legenda: O mandado de prisão foi cumprido por agentes da Polícia Civil do Ceará e do Amapá em Maracanaú.
Foto: Divulgação/SSPDS

Um casal foi preso em Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza, na manhã desta quarta-feira (22), suspeito de aplicar golpes financeiros em servidores públicos.

Intitulada "Golpe dos Precatórios", a operação interestadual contou com agentes da Polícia Civil do Ceará e do Amapá. Isso porque, para cometer os crimes, os dois, um homem de 23 anos e uma mulher de 37, diziam servir ao Tribunal de Justiça do último estado (TJ-AM).

O casal está, agora, à disposição da Justiça do Amapá e deve responder pelo crime de estelionato. Com eles, a Polícia apreendeu também seis aparelhos celulares, um notebook, uma maquineta e três pendrives.

Investigação

Segundo o delegado-adjunto da Delegacia Metropolitana de Maracanaú, Rodrigo Delamary, a dupla enviava mensagens para servidores públicos do Ceará se passando por servidores do Tribunal de Justiça do Amapá e cobrando o adiantamento de valores para que os processos de liberação de precatórios dos funcionários fossem acelerados.

Se vendo "obrigados" a pagar para não ter seus processos engavetados, os servidores acabavam caindo no golpe. "Estima-se que o prejuízo inicial seja de, pelo menos, R$ 150 mil", disse o delegado.

O caso foi investigado, inicialmente, pela Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos do Amapá, que identificou que o casal estava morando em Maracanaú.

Os suspeitos

Os nomes dos suspeitos não foram revelados pela Polícia. O homem tem antecedentes criminais por tentativa de homicídio, furto, dano e duas lesões corporais. A mulher não tem antecedentes.

A Polícia Civil do Ceará continua recebendo informações que ajudem nas investigações. As denúncias podem ser enviadas pelo telefone (85) 3101-2830, da Delegacia Metropolitana de Maracanaú, pelo 181, o Disque-Denúncia da SSPDS, ou pelo (85) 3101-0181, WhatsApp por onde podem ser enviados áudios, vídeos e fotos.

Assuntos Relacionados