Sarto reúne aliados da campanha antes de iniciar fase de transição

Mesmo diante das expectativas sobre a montagem do novo governo, o assunto não foi tratado no evento que agrupou representantes das siglas que compuseram a coligação da chapa governista em Fortaleza

AL-CE
Legenda: Estiveram presentes na reunião representantes de 13 dos 16 partidos que apoiaram Sarto
Foto: Foto: José Leomar

Apesar das expectativas sobre os primeiros movimentos de formação das equipes de transição e de Governo, a reunião entre o prefeito eleito de Fortaleza, Sarto Nogueira (PDT), e os dirigentes de partidos aliados não tratou do assunto. No encontro realizado ontem, na Assembleia Legislativa, o pedetista agradeceu o apoio das siglas durante a disputa eleitoral e aproveitou para confraternizar a vitória.

Movimento mais objetivo para a próxima gestão deve começar hoje, com a publicação do decreto do prefeito Roberto Cláudio (PDT) dando início à transição. “Nenhum partido fez ponderação (sobre o apoio) a não ser oferecer programa de governo para que analisássemos incorporar ao nosso. Alguns podem fazer oposição critica, mas fiz questão de fazer esse agradecimento”, enfatizou Sarto sobre o diálogo com as lideranças. 

O pedetista conseguiu articular apoio de 16 siglas no entorno de sua candidatura. Na reunião, representantes de 13 deles compareceram: PSB, Cidadania, PL, PSDB, PSD, Rede, DEM, PP, PCdoB, MDB, PV, Patriota e UP. Diagnosticado com Covid-19, Guilherme Sampaio, presidente municipal do PT, está em isolamento domiciliar e não participou da reunião. Já Renato Roseno, do Psol, conversou com Sarto por telefone. A representante do PTB não foi localizada, segundo o pedetista.

Transição
Diante dos dirigentes, Sarto ressaltou a expectativa que hoje seja publicado o decreto de transição. “Quando for publicado, iremos estabelecer a nossa equipe e ouvir órgão por órgão sobre as obras que estão em andamento, os recursos e os prazos. Essa equipe deve ser formada tão logo saia o decreto”, afirmou.

Paralelamente, Sarto manteve o mistério sobre a sucessão da Mesa Diretora da Assembleia, após sua saída da presidência que irá ocorrer somente no fim de deste mês. Ele afirmou que irá conversar com o deputado federal André Figueiredo (PDT), uma das lideranças do partido, para começar a discutir um nome dentro do PDT para sucedê-lo.

Secretariado
Já tratando da futura equipe de governo, Sarto não revelou nomes, mas disse que a regra para a escolha será “perfil e capacidade técnica”. Segundo ele, as escolhas poderão incluir também integrantes de partidos que o apoiaram durante a campanha. “A regra é ouvir e, evidentemente, quem for participar da gestão tem que ter capacidade técnica”, ressaltou.

O futuro chefe do Executivo municipal também sinalizou que “pode criar” mais secretarias durante a gestão. Uma das possibilidades é executar a lei que passa a dividir a Capital em 12 regionais, proposta já aprovada pela Câmara, mas que ainda não foi implantada. “Temos um norte, a ideia é preservar o que foi aprovado”, disse.

Articulações
Presente no evento, o presidente municipal do Progressistas (PP), Marcos Cals, demonstrou interesse em novos encontros para discutir possível participação na futura gestão. “Na próxima semana, podem haver reuniões individuais mais objetivas com os partidos, para ouvir cada um. Reunião com 13 dirigentes não dá para conversar sobre isso”, destacou. Cals reafirmou a posição na base de apoio do Governo.

Quem também participou do encontro foi o presidente estadual do PSDB, Luiz Pontes. Questionado se a aliança entre as duas siglas, com histórico de oposição no Estado, estará mantida no novo governo municipal, o tucano sinalizou positivamente. “Está. Firme e forte”, garantiu. 

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política