Pesquisa Ibope: 61% dos eleitores apontam Saúde como maior gargalo de Fortaleza

A primeira pesquisa Ibope também abordou as principais áreas com mais problemas

A primeira pesquisa Ibope para a Prefeitura de Fortaleza nas eleições 2020, divulgada nesta quarta-feira (14) pela TV Verdes Mares, apontou a Saúde como o maior problema da Capital, conforme  avaliaram 61% dos eleitores ouvidos.

As outras áreas com maiores níveis de insatisfação dos fortalezenses, são: Segurança Pública (52%), Educação (34%), Geração de empregos (22%), corrupção (18%), transporte coletivo (14%), limpeza pública (13%), rede de esgoto (13%), impostos e taxas (11%) e calçamento de ruas e avenidas (8%).

A margem de erro é de quatro pontos percentuais, para mais ou para menos. 

> Acompanhe notícias sobre as eleições no PontoPoder

A pesquisa foi encomendada pela TV Verdes Mares e registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número CE-05307/2020. Ao todo, 602 eleitores foram entrevistados presencialmente entre os dias 12 e 14 de outubro. O nível de confiança da pesquisa é de 95%

Para chegar ao resultado, o Ibope fez a seguinte pergunta: "aqui está uma lista de áreas onde as pessoas vêm enfrentando problemas de maior ou menor gravidade. Por favor, diga qual é a área em que, na sua opinião, a população de Fortaleza está enfrentando os maiores problemas. E em segundo lugar? E em terceiro lugar?"

Confira o ranking das áreas mais problemáticas apontadas pelo eleitores, segundo o Ibope:

  1. Saúde (61%)
  2. Segurança Pública (52%)
  3. Educação (34%)
  4. Geração de Empregos (22%)
  5. Corrupção (18%)
  6. Transporte Coletivo (14%)
  7. Limpeza Pública (13%)
  8. Rede de Esgoto (13%)
  9. Impostos e Taxas (11%)
  10. Calçamento de ruas e avenidas (8%)
  11. Habitação (6%)
  12. Trânsito (5%)
  13. Iluminação Pública (5%)
  14. Meio Ambiente (4%)
  15. Assistência Social (3%)
  16. Abastecimento de Água (3%)
  17. Administração Pública (3%)
  18. Opções de Lazer (3%)
  19. Atividades Culturais (2%)
  20. Atividades Esportivas (1%)
  21. Não sabe/não responderam: 1%

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política