Deputado André Fernandes tem carro rebocado após tumulto em meio a protesto no entorno da Assembleia

O episódio ocorreu durante manifestação de representantes de bares e restaurantes no entorno da Assembleia Legislativa

André Fernandes
Legenda: O deputado alega que a ação teria sido desproporcional
Foto: Fabiane de Paula

Em meio à manifestação de representantes de bares e restaurantes no entorno da Assembleia Legislativa, nesta quinta-feira (4), o deputado estadual André Fernandes (Republicanos) se viu envolvido em um tumulto ao tentar transpor um bloqueio realizado pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) no bairro Dionísio Torres. De acordo com a AMC, o parlamentar não se identificou na situação e desacatou a equipe que trabalhava na ação. André Fernandes, que teve o veículo rebocado, disse que a versão da AMC “não procede” e afirmou que, se mantida, processará os envolvidos. O carro do deputado já foi liberado.

A interdição feita pelo órgão municipal no cruzamento das Rua Francisco Holanda com a Avenida Desembargador Moreira ocorreu em virtude da manifestação nos arredores do Legislativo Estadual. Em nota, a AMC afirmou que “além de não ter se identificado, o parlamentar se recusou a apresentar a documentação solicitada e desacatou os agentes que faziam o controle de tráfego no local”.   

> Setor de bares e restaurantes pede revisão do decreto e projeta fechamento de mais estabelecimentos

Veja vídeo do momento do reboque:

O veículo de André Fernandes foi rebocado, de acordo com a Autarquia, por infringir o Artigo 238 do Código de Trânsito Brasileiro. De acordo com a legislação, “recusar-se a entregar à autoridade de trânsito ou a seus agentes, mediante recibo, os documentos de habilitação, de registro, de licenciamento de veículo e outros exigidos por lei, para averiguação de sua autenticidade” é uma infração de natureza gravíssima que tem como medida administrativa a remoção do veículo, explica a AMC. 

Parlamentar rebate versão

O parlamentar diz que a versão do órgão municipal “não procede”. “Isso é uma mentira grande. Já cheguei me identificando. Outras pessoas furaram esse tal bloqueio. A própria deputada Silvana (Oliveira, do PL) falou comigo e me afirmou que ela chegou em uma Avenida que a AMC estava bloqueando, se identificou como parlamentar, eles pediram para ela ir para o lado, ela foi e entrou na Assembleia Legislativa”, afirma.

Deputado André Fernandes
Legenda: Após o ocorrido, André Fernandes discursou aos manifestantes nos arredores da Assembleia
Foto: Reprodução

“Eu, deputado André Fernandes, cheguei e eles disseram que meu carro não ia sair de lá. Eu disse: ‘meu amigo, eu estou inscrito no segundo expediente (da sessão desta quinta), sexto horário, eu tenho que falar. Tenho que ir e é o meu carro. E o povo da AMC não deixou meu carro sair. Então, dizer que não me identifiquei é mentira. Se ele (agente de trânsito) está falando isso, vou processá-lo por calúnia”, acrescenta. 

O deputado do Republicanos argumentou, ainda, que a ação teria sido desproporcional. “Fizeram isso apenas comigo. Outro parlamentar entrou, outras pessoas passaram por vias bloqueadas, tive mais de 500 testemunhas. Tem vídeos de médicos passando pelo tal bloqueio. Agora, eu, eles não permitiram. Que fique registrado”. 

De acordo com a AMC, “o agente de trânsito envolvido na operação registrará boletim de ocorrência por desacato à autoridade”.

Carro já foi liberado

Deputado estadual André Fernandes
Legenda: "O veículo já foi liberado e está comigo", escreveu André Fernandes nas redes sociais horas após o tumulto
Foto: Reprodução

Poucas horas após dizer que teria de ir até a AMC para resolver a situação, André Fernandes publicou, nas redes sociais, foto com o veículo, que já foi liberado. "A ideia da AMC era só querer me desmoralizar" O veículo já foi liberado e está comigo", escreveu. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política