Após Eduardo Pazuello passar mal, sessão da CPI da Covid-19 é suspensa

Depoimento será retomado às 9h30 desta quinta-feira (20)

eduardo pazuello durante a cpi da covid
Legenda: Ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello foi ouvido nesta quarta-feira (19) na CPI da Covid-19
Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

O presidente da CPI da Covid-19, senador Omar Aziz (PSD-AM), decidiu suspender a sessão com o depoimento do ex-ministro Eduardo Pazuello, no fim da tarde desta quarta-feira (19). A retomada do depoimento de Pazuello será nesta quinta-feira (20), às 9h30.

Aziz postou em suas redes sociais que suspendeu a sessão devido ao início da sessão plenária do Senado. No entanto, cogitou-se que a sessão tinha sido suspensa após o ex-ministro sofrer um mal súbito. Pazuello sofreu de síndrome vasovagal, que é uma perda de consciência momentânea, precisando ser atendido pelo senador Otto Alencar (PSD-BA), que é médico.

Ao deixar a sessão, no entanto, Pazuello afirmou que não passou mal. Caminhando normalmente, o ex-ministro apenas disse estar bem e que a sessão foi adiada por causa do início da ordem do dia no plenário do Senado.

Antes da suspensão do depoimento, a CPI ainda tinha 23 senadores inscritos.

Com esse adiamento, foi adiada para a próxima terça-feira (25) a oitiva da secretária de Gestão do Trabalho e da Educação do Ministério da Saúde, a cearense Mayra Pinheiro.

Pazuello tem mal-estar

Segundo o vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Pazuello teve um mal-estar, uma síndrome vasovagal, foi atendido de imediato por Otto Alencar e se recuperou.

Em entrevista à CNN, Alencar afirmou que o ex-ministro "poderia continuar" a dar o depoimento. "Nós já fizemos o atendimento", disse o senador e médico.

E acrescentou: "Ele estava muito pálido, tonto. Ele teve uma síndrome vasovagal. O sangue deixa muito o cérebro, perde a consciência, fica tonto e estava muito pálido e a pressão caiu também. Deitamos ele no sofá, o sangue refluiu para o cérebro, ele ficou corado, se recuperou, estava respirando muito bem, podia perfeitamente continuar a oitiva. Foi suspenso (o depoimento), mas não foi por nenhuma sequela."

Como foi o depoimento

   

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política