Governo autoriza nomeação de 1.047 policiais federais

O reforço ao quadro da PF inclui candidatos aprovados em concurso nos cargos de delegado, perito, agente, escrivão e papiloscopista

Legenda: As nomeações ficarão condicionadas à existência de vagas na data de nomeação e à adequação orçamentária e financeira da nova despesa com a Lei Orçamentária
Foto: Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

O Diário Oficial da União (DOU) publica nesta sexta-feira (24) decreto presidencial que autoriza a nomeação de candidatos aprovados em concurso para a Polícia Federal. Ao todo, serão nomeados 1.047 servidores para o órgão, incluindo delegados, peritos, agentes, escrivãs e papiloscopistas. 

A nomeação dos servidores havia sido anunciada pelo Planalto em abril na comemoração dos 100 dias de governo do presidente Jair Bolsonaro, como uma das ações para reforçar o combate ao crime organizado e à corrupção no País.

De acordo com o decreto, o provimento dos cargos ficará condicionado à existência de vagas na data da nomeação e à declaração do ordenador de despesa sobre a adequação orçamentária e financeira da nova despesa com a Lei Orçamentária Anual e a sua compatibilidade com a Lei de Diretrizes Orçamentárias, "demonstrada a origem dos recursos a serem utilizados".

As condições para a nomeação dos candidatos serão verificadas pelo diretor-geral da Polícia Federal. "As despesas resultantes da aplicação do disposto neste decreto correrão à conta das dotações orçamentárias consignadas à Polícia Federal do Ministério da Justiça e Segurança Pública", cita o decreto.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil