Coronavírus: presidente e ministros definem medidas para conter efeitos da doença

O decreto de calamidade pública já foi protocolado e o Poder Executivo aguarda aprovação

Legenda: O presidente e os ministros se reuniram em entrevista coletiva
Foto: Foto: Reprodução

Com o avanço da infecção no país, de máscara, os membros do governo pronunciaram novas medidas de contingenciamento para o novo coronavírus. Na coletiva, também foi anunciado que o Ministro de Minas e Energia testou positivo para a infecção.

No Brasil, já são mais de 300 casos e 3 mortes pelo Covid-19. O Poder Executivo aguarda a aprovação do decreto de calamidade pública.

Confira algumas das medidas anunciadas para combater a doença. 

Saúde
O Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou que a saúde pública deve, em breve, ter um sistema de monitoramento tecnológico e regulamentar a telemedicina, podendo contar com teleconsultas. Renovação da frota de ambulâncias e importação de equipamentos e produtos necessários também estão inclusos no pacote de medidas.

O Ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, anunciou que casas do Minha Casa Minha Vida poderão ser cedidas ao Ministério da Saúde para receber pacientes em quarentena.

Economia
Na economia, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou que não haverá contingenciamento no orçamento para combater os efeitos econômicos da doença no país e que essa medida só é possível pelo estado de calamidade pública que está em aprovação.

O governo deve lançar novo benefício assistencial para trabalhadores autônomos durante a crise. Guedes disse que o governo também estuda como auxiliar empresas em dificuldade nesse momento para a manutenção de empregos. Uma das saídas, segundo ele, é bancar parte dos salários dos funcionários.

O ministro também declarou que o governo irá renegociar dívidas de empresas de aviação. 

A equipe econômica do governo deve anunciar medidas a cada 48h para combater os efeitos do coronavírus no país. 

Segurança
Sérgio Moro, Ministro da Justiça e Segurança Pública, anunciou o fechamento parcial da fronteira com a Venezuela e relatou sobre a avaliação de fechar para outros países também. 

Segundo Moro, as fronteiras da Venezuela foram fechadas para impedir a propagação da doença no país e também para não sobrecarregar o sistema de saúde do Brasil. "O País não teria condições de absorver a demanda vinda da Venezuela", disse.

Moro também frisou que o governo está preocupado com o policiamento e que "a segurança pública não pode parar". O ministro ressaltou medidas em relação aos presídios, o governo deve fornecer insumos para a prevenção da disseminação da doença entre os presos e as visitas às penitenciárias devem ser parcialmente ou totalmente restringida pelos Estados.

Agricultura
O Ministério da Agricultura, através de nota divulgada nesta quarta-feira (18), anunciou que o setor garantirá a oferta de alimentos durante a crise provocada pelo coronavírus no país. A ministra Tereza Cristina assegurou que o setor "segue produzindo com êxito e abastecendo o mercado". "Não precisamos ter nenhuma expectativa negativa de que não teremos alimentos para nosso povo", ressaltou.

 

Tire as dúvidas sobre o novo coronavírus: 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou pandemia do Covid-19, no dia 11 de março. O órgão alertou que o número de pacientes infectados, de mortes e de países atingidos deve aumentar nos próximos dias e semanas.

O termo pandemia se refere ao momento em que uma doença já está espalhada por diversos continentes com transmissão sustentada entre as pessoas.

Casos confirmados no Brasil

TRANSMISSÃO E CUIDADOS

O novo vírus é transmitido por vias respiratórias, pelo ar, e por gotículas de saliva que saem em um espirro ou tosse, por exemplo, e também podem ser transferidas por contato físico ou superfícies contaminadas.

SINTOMAS

Os principais sintomas são tosse seca, febre e cansaço. Algumas pessoas podem sentir dores no corpo, inflamação na garganta, congestionamento nasal e diarreia.

PREVENÇÃO

As pessoas devem ter cuidado com a higienização das mãos e evitar tocar mucosas do olho, nariz e boca.


Categorias Relacionadas