Apple vai pagar cerca de US$ 500 mi por deixar iPhones mais lentos

Acordo é resultado de denúncias de manobra para forçar troca de aparelhos mais antigos por modelos mais novos

Legenda: Usuários dos produtos da Apple se queixaram de paradas involuntárias dos aparelhos
Foto: Foto: AFP

A Apple entrou em acordo com a justiça para pagar cerca US$ 500 milhões para resolver uma ação coletiva movida por denúncias de que teria limitado o desempenho dos aparelhos de telefone  iPhone mais antigos para forçar seus usuários a trocá-los por modelos mais novos.

A proposta de acordo, revelada na última sexta-feira, será analisada por um juiz federal do estado da Califórnia (oeste), que deve anunciar sua decisão numa audiência marcada para abril. 

Segundo a proposta, a Apple deve pagar entre US$ 310 milhões e até um limite de US$ 500 milhões (R$ 2,2 bilhões) para compensar os proprietários de iPhone afetados nos Estados Unido.

A Apple não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. 

A disputa se concentra em mudanças furtivas no sistema operacional com o suposto objetivo de evitar "paradas involuntárias". 

Em dezembro de 2017, a Apple admitiu ter modificado o iOS, o software que controla seus dispositivos móveis, para reduzir o desempenho de modelos mais antigos do iPhone cujas baterias estavam se deteriorando e, assim, impedir o desligamento espontâneo dos telefones.

Os críticos acusaram a Apple de forçar furtivamente os usuários a comprar telefones mais cedo do que o necessário, e a alegação forçou a empresa da Califórnia a atualizar seu software e oferecer grandes descontos na substituição de baterias. 

Os proprietários dos aparelhos iPhone 7 ou de versões anteriores receberão US$ 25 por cada dispositivo, e o valor aumentará ou diminuirá, dependendo do número de pessoas que registrarem reclamações e do custo de notificá-las sobre a situação.


Categorias Relacionadas