MPCE recomenda a proibição de adereços e mosaicos em Clássicos-Rei da Copa do Brasil

As partidas estão marcadas para os dias 2 e 10 de junho

Arena Castelão em plano aberto, com gramado e arquibancada
Legenda: A Arena Castelão é o maior palco esportivo do futebol cearense
Foto: Thiago Gadelha / SVM

O Núcleo do Desporto e Defesa do Torcedor (Nudtor) do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) recomendou, nesta segunda-feira (31), que a Polícia Miliar proíba a presença de adereços, bandeiras e mosaicos das torcidas de Ceará e Fortaleza na Arena Castelão nos Clássicos-Rei da Copa do Brasil.

A recomendação foi expedida em virtude de conflitos entre torcedores na final do Campeonato Cearense de 2021. O MPCE também levou em consideração a quebra dos protocolos sanitários para Covid-19 durante a instalação e retiradas dos materiais.

As partidas estão marcadas para 2 e 10 de junho. O Nudtor ainda solicitou a promoção de campanhas sociais, com divulgação nos meios de comunicação dos times, em busca da pacificação indicou multa de até R$ 10 mil por dia em caso de descumprimento das medidas recomendadas.

Atletas de Ceará e Fortaleza disputam bola na Arena Castelão
Legenda: O Clássico-Rei é o principal jogo do futebol cearense
Foto: Fabiane de Paula

Além da possível aglomeração registrada no equipamento, a violência entre as torcidas é um dos pontos avaliados, segundo avaliação do promotor de Justiça e coordenador do Nudtor, Edvando França.

“Mesmo sem entrarem no estádio, o acirrado clima de animosidade entre as torcidas faz com que acabem entrando em confronto no entorno da Arena Castelão”, explicou. O promotor pontuou que 27 torcedores foram presos na decisão do Estadual. “Alguns estavam com protetor bucal, ou seja, já foram ao local com o intuito de se envolverem em briga”, advertiu.

A medida será válida apenas para os Clássicos-Rei da Copa do Brasil. Assim, não há indicação contrária para as participações das equipes nas demais competições.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte