Guto Ferreira reconhece pressão por maus resultados, mas garante: "trabalho sempre tranquilo"

Treinador alvinegro chegou ao seu quinto Clássico-Rei sem vitórias na temporada 2021

Legenda: Técnico Guto Ferreira está pressionado no cargo
Foto: Thiago Gadelha/SVM

No histórico Clássico-Rei pela Copa do Brasil: deu Fortaleza. A equipe tricolor sobressaiu contra o Ceará e venceu por 3 a 0. Em entrevista coletiva pós-jogo, o técnico Guto Ferreira comentou sobre o desempenho de seus comandados em campo e lamentou as chances desperdiçadas ao longo da partida.

“No momento em que estávamos melhor no jogo, acabamos tendo um erro em bola parada e eles abriram o placar. A partir disso, a estratégia deles foi fortalecida. Ao final do primeiro tempo, outro erro nosso causou o segundo gol. Se você analisar, tivemos duas bolas na trave, vários bate e rebate em situação de gol e não conseguimos fazer. Eles tiveram a felicidade de fazer os gols.”

A eliminação na Copa do Brasil para o maior rival acirrou os ânimos do torcedor com o elenco e a comissão técnica do Ceará. Questionado na coletiva sobre o desempenho do Alvinegro de Porangabuçu após o vice-campeonato da Copa do Nordeste e do Campeonato Cearense e a eliminação na Copa Sul-Americana e Copa do Brasil, Guto Ferreira garantiu tranquilidade para continuidade do trabalho e ressaltou que a derrota para o Fortaleza não deve afetar o grupo.

“A cultura do futebol brasileiro avalia sempre dessa maneira, sempre a questão do título. Nós tivemos a primeira competição onde não conseguimos sobressair. Nas outras competições, chegamos à final e na Sul-Americana estávamos invictos até a última rodada e disputando. Infelizmente, as coisas não aconteceram. A gente vem de um ano e meio trabalhando, conseguindo atingir as metas, lógico que a meta é sempre chegar no melhor. Eu trabalho sempre tranquilo, buscando sempre fazer o melhor. Eu não acredito que isso (eliminação na Copa do Brasil) possa afetar o grupo, não.”

Confira outros pontos da entrevista coletiva

Sobre o lado psicológico em momentos decisivos do Ceará na temporada

"Para cada momento é uma situação. O momento da Copa do Nordeste foi um, o do estadual foi outro completamente diferente e o momento da Sul-Americana também foi outro completamente diferente. Cada um teve um aspecto. De todos onde fomos muito abaixo e em uma situação um pouquinho mais justificável, foi hoje. Jogo 0 a 0, bola na trave, se fazemos um a zero a partida era outra. Para cada situação é um tipo de reação. Volto a falar: os clássicos desse ano nós não jogamos completo em nenhum deles."

Confronto contra a Chapecoense: como reverter lado anímico?

"Tem que ter forças de se levantar, avaliar o que fizemos de errado e perceber que, infelizmente, esse jogo não volta mais. Não tem como recuperar. A gente sai sentido, sai com uma dor muito forte, mas essa dor tem que ser transformada em força para que na próxima partida possamos fazer muito melhor do que fizemos e buscar a vitória."

Falta da solidez defensiva: fragilidade no elenco?

"É muito fácil a gente aproveitar este momento para tercer algum tipo de comentário e empurrar o problema para um setor ou para outro. Acho que nós fizemos um jogo onde ficamos muito abaixo e essas questões nós temos que avaliar internamente, conversar, debater e ver até onde isso acontece ou deixar de acontecer. Lógico que o nível dos dois (zagueiros - Luiz Otávio e Messias) vem dando solidez, mas os outros também tiveram solidez em determinadas partidas. Cada partida é uma situação e nós temos que avaliar muito esse momento."

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte